Crítica | Patrulha do Destino retorna em sua 4ª temporada e bundas é o que não faltam aqui

Diante de sua morte iminente, a Patrulha do Destino deve decidir de uma vez por todas o que é mais importante: sua própria felicidade ou o destino do mundo?

Quando falamos de séries “fora da caixinha” as pessoas lembram geralmente de “The Boys”, como referência de no sense, o que não deixa de ser. Porém, Patrulha do Destino desde sua primeira temporada é a rainha do bizarro, e isso é um elogio. Sendo uma pena, a série não se popularizar como deveria.

patrulha do Destino - Otageek
Crítica sem Spoilers | Reprodução: HBO Max

Mas temos que ficar gratos pela série ter se livrado da onda de cancelamento que assola as propriedades da DC e da Warner a partir de sua nova gestão. A nova temporada de Patrulha do Destino chegou no catálogo da HBO Max, a partir do dia 8 de dezembro, com o 2 episódios, estando até o momento que escrevo essa crítica, no quarto e vai contar com mais 2 episódios lançados semanalmente até o dia 5 de janeiro de 2023. Em seguida, a série fará uma pausa no meio da temporada e retornará para os seis episódios restantes em algum momento do próximo ano.

Após 3 temporadas, como público pudemos nos envolver, entender, se identificar e torcer pelos personagens desajustados, cada um com seus demônios interiores e visão de mundo. Mesmo que não sobre muito tempo para lidar com eles, quando o grupo está ocupado tentando salvar o mundo das situações mais bizarras possíveis.

Reprodução: HBO Max

Agora na nova temporada, a equipe inesperadamente viaja para o futuro, mais especificamente para o ano de 2042, para encontrar uma surpresa indesejada. Diante de sua morte iminente, a Patrulha do Destino deve decidir de uma vez por todas o que é mais importante: sua própria felicidade ou o destino do mundo?

A partir dessa premissa que a série retorna, em um primeiro momento mostrando o grupo como uma equipe de heróis liderada pela querida Rita Farr (Mulher-Elástica), que juntos enfrentam um vilão com uma “pistola mortal” e seu ajudante “cu de bazuca” (esse foi o nome que inventei para ele), Ciborgue nessa temporada tem que lidar com a decisão de abster de seus poderes, Crazy Jane se vê perdida e sem proposito, Larry tem dificuldades em lidar com a nova forma de vida que está sob sua responsabilidade, Cliff agora consegue sentir as coisas a partir de seu toque e passa a ter uma nova perspectiva de vida e a adição mais recente do time na última temporada, Laura De Mille, que ainda busca o perdão e o seu lugar na equipe.

De forma geral, podemos afirmar que a temática dessa temporada é sobre proposito e apreço a vida. Se antes, esses personagens se odiavam e não se aceitavam, hoje, unidos como uma família eles querem estar presentes, eles querem viver.

Durante uma entrevista para divulgação da série, o showrunner Jeremy Carver elaborou os pontos da trama da temporada. “Isso desencadeia a premissa temática central da temporada, que é basicamente, ‘Vamos tão longe para salvar nossa existência que acabaremos causando grandes danos a nós mesmos?’ E por quanto tempo eles podem continuar fazendo isso consigo mesmos? Isso leva a um exame de consciência à medida que a temporada avança”, completou.

Reprodução: HBO Max

Se o primeiro episódio serve para nos reinserir na loucura que é a atmosfera de Patrulha do Destino, o segundo coloca a série para caminhar a partir da ponta solta da última temporada e bunda é o que não falta aqui, ah sim, bundas zumbis. Então, no terceiro episódio temos um capítulo centrado na Rita, onde ela e o grupo ficam presos na realidade da filmografia da personagem, a medida que vemos que tudo caminha para introdução de um vilão maior. O primor técnico desse terceiro episódio é incrível e a atmosfera criada para os filmes realmente nos envolve. Em paralelo temos o Ciborgue tentando voltar a sua antiga vida, antes dos poderes, colaborando para seu arco de desenvolvimento.

Leia também:

No quarto episódio temos uma pausa na narrativa principal e revisitamos Dorothy e Danny the Street. Nós a vimos pela última vez na terceira temporada, quando ela saiu com os “Dead Boy Detectives” para novas aventuras. Nesse capítulo, vivendo no lugar seguro criado por Danny, Dorothy e a drag Maura Lee (interpretada pelo talentoso Alan Mingo) devem lidar com uma ameaça espacial e a chegada da nova personagem, Space Case (interpretada por Madeline Zima), que não deixa de ser outra adição significativa ao casting da série. Danny como sempre incorpora o espírito da série, que é ser um refúgio seguro para as minorias e as pessoas marginalizados.

Após uma terceira temporada aclamada pela crítica e o público, Patrulha do Destino mostra que ainda tem muito gás para continuar com suas histórias e trazer reflexões necessárias em meio ao caos, mesmo que durante a viagem, eles tenham que chutar algumas bundas.

Confira o trailer da temporada

Novos episódios são disponibilizados semanalmente às quintas-feiras na HBO Max

Continue lendo no OtaGeek:

E se você gostou do nosso conteúdo, apoie-nos através das nossas redes sociais e acompanhe nosso podcast

Facebook RSS Youtube Spotify Twitch


Receba conteúdos exclusivos!

Garantimos que você não irá receber spam!

Compartilhe essa matéria!
Riuler Luciano
Riuler Luciano

Jornalista Cultural, Analista de Inbound Marketing e Branding, cresceu lendo quadrinhos dos X-MEN é amante de Cultura Pop e Pequi!

Artigos: 380
Se inscrever
Notificar de
guest
3 Comentários
Mais velho
Mais novo Mais votado
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários

[…] Crítica | Patrulha do Destino retorna em sua 4ª temporada e bundas é o que não faltam aqui […]

[…] Crítica | Patrulha do Destino retorna em sua 4ª temporada e bundas é o que não faltam aqui […]

[…] Crítica | Patrulha do Destino retorna em sua 4ª temporada e bundas é o que não faltam aqui […]