Rosé traz sua marca pessoal em mini-álbum solo

O prometido solo de Rosé, membro do grupo de K-pop Blackpink, saiu na madrugada desta terça. Mas será que atendeu às expectativas?

Após um anúncio nada tímido via redes sociais, alguns teasers e muita espera dos fãs, Rosé lançou seu primeiro EP solo, chamado “R”. O mini-álbum contém duas faixas: “On the Ground”, que conta com um MV (videoclipe), e “Gone”.

A imagem mostra Rosé, cantora sul-coreana em um fundo cheio de luzes - Otageek
No K-Pop, nunca se economiza em um bom ensaio fotográfico.

“R” conta com produção de nomes como Jorgen Odegard, Brian Lee e Ojivolta, recorrentes no cenário pop ocidental, além de 24, produtor norte-coreano que sempre trabalha com nomes da YG Entertaiment, selo por trás do Blackpink.

Teddy, produtor e escritor por trás de muitas faixas do grupo, retorna trabalhando juntamente com Rosé e Amy Allen. Esta última sempre colabora com cantores como Halsey, Harry Styles e Selena Gomez

As duas faixas trazem em si um ar muito característico do que a própria Rosé havia dito anteriormente, lá em 2019, ser o seu desejo: músicas cheias de alma com as quais ela pudesse demonstrar suas habilidades vocais. Vale ressaltar que ambas contam com a participação da cantora no processo de escrita.

Então, após mais de dois anos aguardando o lançamento de um projeto solo, os blinks (nome do fandom) foram agraciados com duas faixas, um mini-álbum e tudo o que um debut de K-pop tem direito. E hoje nós vamos falar sobre isso!

Capa do single "On The Ground" de Rosé do Blackpink - Otageek
Uma das capas do mini-álbum “R”.

On The Ground: mais que uma balada melancólica

A faixa “On the Ground” foi uma grata surpresa. Diante de declarações anteriores e de indícios de como era o estilo de preferência da própria Rosé, eu esperava uma balada simples e sem surpresas, um projeto quadradinho. E sim, foi uma surpresa para muitos que essa não seria uma música sobre amor.

Felizmente, mesmo trazendo um arranjo emotivo e uma construção melódica suave, a faixa traz momentos de alta energia e refrões permeados por batidas com matizes de EDM, gênero conhecido por quem acompanha o Blackpink.

Esse movimento contribui para que, quando você sente que a música está ficando linear demais, ela receba uma injeção de movimento. Então a gente larga o sofrimento e dança, porque essa é uma música sobre encontrar nossa força interior. No entanto, talvez uma transição mais suave quando EDM dá lugar para a balada pop fosse bem vinda. 

Felizmente, a ponte da música compensa demais e mescla voz potente com uma transição deliciosa. Ah, inclusive, o vocal, como era desejo de Rosé, está no ponto. As construções de arranjo que sobem e descem não são tão simples de executar, mas ela faz jus ao seu posto de vocal principal do BlackPink e passeia por notas graves e agudas de forma muito fluida.

E eu só vou falar sobre o MV mais abaixo, então continue lendo! 

Foto promocional com Rosé, do Blackpink - Otageek
Servindo beleza.

Gone: uma balada melancólica

Calma, sem hate. Mas a verdade é que ao ouvir “Gone” eu não deixei de pensar: é, essa é bem Rosé mesmo! E não digo isso apenas porque a faixa cai muito bem na voz dela, mas porque vem carregada de tanta alma quanto ela desejava. E mais melancolia ainda!

O violão (sinônimo de Rosé) é marcado e dá um ritmo leve para a faixa, ao passo que o arranjo que o acompanha conduz os ouvintes de forma confortável. A letra é ainda mais melancólica e fala sobre um término estranho, com marcas profundas.

Será que eu sou uma história triste e real?

Eu consigo sentir a dor, você consegue?

Você tinha que ser o cara que iria me desapontar, me entristecer

Odeio ver você com alguém novo

Eu vou amaldiçoar vocês dois

Agora não tem mais volta, você está morto e se foi

Meu amor também se foi

Somos jogados nessa espiral de sofrimento que a intérprete passa nos versos e a música não deixa de tocar, afinal, quem nunca foi trocado? Mas a verdade é que “Gone” também quebra o perfil da maioria das músicas que já havíamos visto a Rosé cantando.

Nas baladas do Blackpink, como “Stay” e “Hope Not”, nós sempre encontrávamos pontes mais animadas e mudanças de batida, mas isso não acontece aqui. “Gone” segue seu próprio ritmo, sem pressa, sem EDM, sem grandes revoluções. Esse é mais um passo de independência da artista, trazendo uma visão mais pessoal para o projeto!

Vale frisar que a linha de canto do refrão é extremamente difícil, por ser feito com uma técnica chamada staccato, quando você salta de uma nota para a outra. Esse movimento exige muita precisão vocal e Rosé entrega tudo. Vocais não faltam!

Mas não teve um clipe?

Como falamos ali em cima, “On The Ground”, o single de lançamento, teve um MV que foi gravado há pouco mais de um mês. É interessante perceber como existe toda uma vibe fashionista, inclusive ela aposta nos mais variados looks de alta costura. E tudo é lindo!

A mensagem por trás da música também é linda. Rosé frisou durante a coletiva mundial: “Basicamente a música é sobre buscar respostas para um propósito na vida […] às vezes você esquece o que importa verdadeiramente para você e essa é uma música que diz que tudo o que precisamos já está em nós. Não é necessário buscar por isso lá fora”.

E isso fica muito claro numa cena em que vemos Rosé (seu nome artístico) se encontrando com Roseanne (seu nome real) e tocando juntas. A verdade é que a construção dessa cena, com figurinos e interação entre elas, deixa muito claro como o clipe busca trazer a mensagem da força interior.

Por mais que outros momentos façam esse diálogo com a solidão que significa estar no topo, é difícil estabelecer conexões que vão muito além disso. Os figurinos são impecáveis e os cenários reais trazem uma perspectiva muito cinemática, mas existe uma sensação de “eu já vi isso em algum lugar”.

E se você já acompanhou outros MVs do Blackpink, pode sim reconhecer takes de câmera e detalhes como o balanço gigante no meio da rua que vimos em “Stay”, danças em frente à letreiros gigantes como em “Playing With Fire” e “Lovesick Girls e por aí vai.

É bonito, mas a sensação é de que faltou mais empenho e cuidado por parte da produtora ao trabalhar o conceito. E talvez isso tenha a ver com rumores de que a YG, marca por trás do grupo e da solista, teve um rombo orçamentário após o The Show, realizado no mês passado.

Os números até aqui e o saldo final

As duas músicas em inglês são, com certeza, uma estratégia de lançamento mundial. De acordo com a cantora, um outro motivo era que essas músicas deveriam consolar pessoas ao redor do mundo.

Além disso, a construção melódica de ambas as músicas é feita especialmente para que elas fiquem na cabeça, com maior destaque para “On The Ground”. Tenho certeza de que você já está com a batida tocando no fundo da sua mente agora!

Por essas e por outras, os números até aqui são muito positivos! Na pré-venda, o mini-álbum “R” já vendeu mais de 400 mil cópias e “On The Ground” desbancou “Drivers License”, de Olivia Rodrigo, nas paradas mundiais do ITunes, ficando em primeiro lugar 50 vezes. O MV também conta com mais de 21 milhões de visualizações no Youtube até agora!

A faixa também alcançou o primeiro lugar em dois dos quatro charts sul-coreanos, como Genie, Bugs e MelOn . “Gone” está em ascensão constante nesses mesmos serviços. Com certeza esse foi um lançamento solo muito positivo para Rosé.

As músicas são interessantes, divertidas e estão chamando atenção. E você, o que achou dos recentes lançamentos?

Continue lendo:

E para comprar produtos de Blackpink na Amazon, utilize nossos links abaixo e nos incentive a continuar produzindo Jornalismo Cultural de Credibilidade! O OtaGeek recebe uma pequena comissão que ajuda a custear as manutenções do site e a trazer cada vez mais melhorias para o projeto!

E se você gostou do nosso conteúdo, apoie-nos através das nossas redes sociais e acompanhe nosso podcast

Facebook RSS Youtube Spotify Twitch


Receba conteúdos exclusivos!

Garantimos que você não irá receber spam!

Compartilhe essa matéria!
Riuler Luciano
Riuler Luciano

Jornalista Cultural, Analista de Inbound Marketing e Branding, cresceu lendo quadrinhos dos X-MEN é amante de Cultura Pop e Pequi!

Artigos: 384
Se inscrever
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais velho
Mais novo Mais votado
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários

[…] Rosé traz sua marca pessoal em mini-álbum solo […]