Crítica | Ela Disse, reavive movimento #MeToo em prol em defesa das mulheres vítimas de assédio

O que era a princípio uma reportagem investigativa que estava o intuito de observar e descobrir os casos de assédio que ocorriam em Hollywood

O que era a princípio uma reportagem investigativa que estava o intuito de observar e descobrir os casos de assédio que ocorriam em Hollywood, duas jornalistas do New York Times descobriram um amplo caso de acusações de assédio e má conduta sexual de um dos principais produtores de cinema de Hollywood e que mais tarde se tornaria um amplo movimento em prol em defesa das mulheres vítimas de assédio.

É nesse aspecto que o filme “Ela Disse” (She Said), baseado no best-seller dos bastidores dessa reportagem que deu impulso para o movimento #MeToo, tenta mostrar. O filme dirigido por Maria Schrader, que tem como protagonistas as atrizes Carey Mulligan (Megan Twohey) e Zoe Kazan (Jodi Kantor), mostra todos os passos que as repórteres fizeram para mostrar a face de predador sexual do principal produtor de filmes estadunidense, Harvey Weinstein, da Miramax.

Um ponto interessante do filme é que ele mostra de maneira bem dramática e com bastante suspense os passos das repórteres ao tentar descobrir as maneiras como Harvey Weinstein conseguia escapar de seus crimes sexuais, que ia desde intimidações como abuso de influência até os inúmeros acordos com a justiça.

Além disso, o longa-metragem nos dá um vislumbre de como funciona uma boa apuração jornalística e dá a oportunidade para quem assiste ver a importância do jornalismo como aquele que combate as injustiças e desvenda os desvios de ética cometidos principalmente por pessoas com grande relevância e poder, seja na esfera pública ou privada.

Outro aspecto que deixou bem claro no longa-metragem é como infelizmente o trabalho do jornalista ainda não é respeitado por muitos, principalmente quando o trabalho é feito por uma mulher, como a classe jornalística sofre diversas represálias e pressões atualmente.

Algo que também chamou atenção no filme foi a maneira de como funciona a cultura do machismo, desde homens comuns em bares até por candidatos à presidência da república, como demonstrado pelo na época ex-candidato e presidente eleito Donald Trump, ao ser acusado por má conduta sexual no período em que concorria ao cargo máximo nos Estados Unidos em 2016.

Assistindo ao filme me veio à mente uma frase de uma professora dos meus tempos de faculdade, onde a mesma disse: “o jornalismo incomoda”. E ele deve incomodar mesmo, pois não se pode permitir delitos como cometido por estupradores como Weinstein e outros que têm as mesmas atitudes que ele fiquem impunes. Por isso, o filme Ela Disse é uma excelente obra para quem pretende entrar no mundo do jornalismo e a sua importância para a nossa sociedade atual.

Crítica escrita pelo Jornalista Wando Moreira que participou da cabine de imprensa que participamos à convite da Universal Pictures.

Continue lendo no OtaGeek:

E se você gostou do nosso conteúdo, apoie-nos através das nossas redes sociais e acompanhe nosso podcast

Facebook RSS Youtube Spotify Twitch


Receba conteúdos exclusivos!

Garantimos que você não irá receber spam!

Compartilhe essa matéria!
Luna | A Patroa da Redação
Luna | A Patroa da Redação

Já pensou em começar a valorizar o Jornalismo Cultural Independente hoje?

Artigos: 1325
Se inscrever
Notificar de
guest
6 Comentários
Mais velho
Mais novo Mais votado
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários

[…] Crítica | Ela Disse, reavive movimento #MeToo em prol em defesa das mulheres vítimas de assédio […]

[…] Crítica | Ela Disse, reavive movimento #MeToo em prol em defesa das mulheres vítimas de assédio […]

[…] Crítica | Ela Disse, reavive movimento #MeToo em prol em defesa das mulheres vítimas de assédio […]

[…] Crítica | Ela Disse, reavive movimento #MeToo em prol em defesa das mulheres vítimas de assédio […]

[…] Crítica | Ela Disse, reavive movimento #MeToo em prol em defesa das mulheres vítimas de assédio […]

[…] Crítica | Ela Disse, reavive movimento #MeToo em prol em defesa das mulheres vítimas de assédio […]