Originalmente pensado para a TV, livro inédito arrebata público com thriller psicológico e protagonista bissexual, carioca e negro

Livro de estreia de Stefano Volp como romancista chega em abril aos associados da TAG – Experiências Literárias.

Narrativa passeia por traumas e desejos de um protagonista que, assim como tantos jovens LGBTQIA+, cresceu com o peso do fundamentalismo religioso em suas costas.

Fugitivo de um lugar “lotado de sombras e silêncios”, Daniel, protagonista do romance de estreia de Stefano Volp, autor do aclamado Homens Pretos (Não) Choram, leva o leitor a mergulhar, quase em um fôlego só, nas profundezas das águas represadas de um homem negro bissexual que tinha “vontade de derramar as lágrimas que haviam secado dentro de si” e nos “segredos escondidos sob águas turvas” de um bairro chamado Água Doce, parte do município de Ubiratã, no Rio de Janeiro. É nos mistérios e nas forças da água que as comportas do passado de Daniel se abrem e inundam as páginas do romance, e segredos e silêncios se tornam, então, verbos.

Com título do livro guardado em segredo até que os associados recebem suas caixinhas, a história é um thriller psicológico com protagonismo bissexual, carioca e negro, que chega em abril aos assinantes da TAG Inéditos, modalidade de assinatura da TAG – Experiencias Literárias focada em best-sellers mundiais e grandes apostas da literatura contemporânea. Para o restante do público, a obra será lançada pela editora HarperCollins em julho.

“Foi um processo visceral, desconfortável e angustiante.”

Stefano Volp é um dos escritores brasileiros mais prestigiados do momento. Com apenas 31 anos e uma multiplicidade de facetas – escritor, roteirista, tradutor, ilustrador e produtor editorial -, ele adentra pela primeira vez o universo dos romances e conduz as cenas com um ritmo único. “Sempre quis desenvolver uma história de suspense porque é meu gênero favorito”, comenta Volp em entrevista exclusiva à TAG, veiculada na revista que acompanha o kit de abril. “Era um projeto de série que nunca tomava forma. Em quarentena, na pandemia, eu resolvi transformar o episódio piloto em um livro. Para ser sincero, foi um processo visceral, desconfortável e angustiante. Mas há muito prazer nisso também. Terminei em menos de um mês. A quarentena ‘ajudou’”, revela.

Volp também produz a capa de seus próprios livros. Para esta edição exclusiva da TAG, ele conta que remete ao elemento “água”, sugerido pelo título, fazendo uso de tons frios e quase bucólicos, pois acredita que a história do protagonista, Daniel, pede isso: “É sobre frieza, margem, passado, sombras e vazio”.

Acompanhando o livro, em edição brochura e com projeto gráfico exclusivo, a TAG envia também uma revista com um apanhado da literatura de suspense brasileira — dos cânones aos menos conhecidos. A publicação complementar aponta ainda dicas de histórias que giram em torno de mistérios, crimes e mortes, para quem quiser adicionar ao seu rol de leituras mais obras envolventes e viciantes.

Continue lendo no Otageek:

E se você gostou do nosso conteúdo, apoie-nos através das nossas redes sociais e acompanhe nosso podcast

Facebook RSS Youtube Spotify Twitch


Receba conteúdos exclusivos!

Garantimos que você não irá receber spam!

Compartilhe essa matéria!
Isabella Breve
Isabella Breve

Futura jornalista, leitora voraz, amante da Sétima Arte e eternamente fã.

Artigos: 349
Se inscrever
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais velho
Mais novo Mais votado
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários

[…] Originalmente pensado para a TV, livro inédito arrebata público com thriller psicológico e protag… […]