“Internet democratiza histórias em quadrinhos”, diz brasileiro notado por Rihanna e Will Smith

Paulo Moreira participou da Arena HQ da 5ª Bienal Internacional do Livro de Brasília

Uma das atrações da 5ª Bienal Internacional do Livro de Brasília (Bilb), o ilustrador paraibano Paulo Moreira, de 30 anos, que já teve sua arte notada por Rihanna e Will Smith, disse na tarde deste sábado (22/10) que “a internet democratiza as histórias em quadrinhos”. Ao lado da artista potiguar Luiza de Souza, de 29, conhecida pelo livro Arlindo, ele participou da abertura oficial da programação da Arena HQ no evento, que será realizado até o próximo dia 30, no Pavilhão do Parque da Cidade.

Ilustrador Paulo Moreira (centro), ao lado da ilustradora Luiza de Souza e do curador de HQ Pedro Brandt, na Bienal Internacional do Livro de Brasília 2022 | Foto: divulgação/Bilb

Com 376 mil seguidores no Instagram (clique aqui), Moreira começou sua carreira em HQs em 2016 e atribuiu seu sucesso à força do mundo digital. “A internet me ajudou a chegar a muita gente. Só consegui trabalhar com quadrinhos por causa da internet, porque vi que tinha muita gente que também gostava do tipo de histórias que eu estava fazendo. A internet deu uma nivelada, sem precisar ir atrás de patrocínio em São Paulo, por exemplo”, afirmou.

Abertura oficial da Arena HQ na 5ª Bienal Internacional do Livro de Brasília, em 2022 | Foto: divulgação/Bilb

Moreira, que é conhecido por utilizar elementos regionais para valorizar a cultura paraibana nos desenhos, tem movimentado as redes sociais. Em março deste ano, Rihanna reagiu à publicação dele retratando a cantora e o namorado dela, A$AP Rocky, na praia de Cabo Branco, em João Pessoa. Em 2019, o ator americano Will Smith compartilhou um desenho do quadrinista paraibano, fazendo referência ao seriado “Um Maluco no Pedaço”.

A ilustradora Luiza (clique aqui), por sua vez, comparou HQ a um tipo de novela. Segundo ela, histórias em quadrinhos são muito parecidas com a teledramaturgia por abordar temas relevantes de forma criativa. Em Arlindo, sua principal obra, a artista acompanha a vida de um adolescente do interior do Rio Grande do Norte, cheio de dúvidas e sonhos.

“Uma história sobre descobrir quem a gente é em meio ao caos da adolescência, sobre encontrar força em nós mesmos e nas pessoas que a gente ama e, principalmente, sobre se permitir existir — mesmo quando isso dá tanto medo”, diz o livro.

O curador de HQ da Bilb, Pedro Brandt, que atua como mediador dos encontros do público com artistas na bienal, ressaltou que a programação de histórias em quadrinhos aborda uma arte que “muita gente ainda desconhece”. Segundo ele, a bienal destaca a diversidade de formatos criativos deste gênero.

“A gente tem desde quadrinhos infanto-juvenis até aqueles que lidam com temas como depressão. Há uma grande diversidade de estilos de desenhos, de propostas de publicação. Aqui o público vai encontrar mangás, graphic novels, quadrinhos de humor, estilos mais europeus e de super-heróis. Tem para todos os gostos, e isso nos ajuda a entender essa grande adesão à nossa arena”, afirmou.

PROGRAMAÇÃO

A seguir, confira a programação completa de artistas na Arena HQ da 5ª Bilb, com mediação de Pedro Brandt.

Dia 22/10 (Sábado) | 15h às 16h30: Luiza de Souza e Paulo Moreira

Dia 23/10 (domingo) | 15h às 16h30: Matheus Santolouco

Dia 24/10 (Segunda) | 19h às 20h30: André Dahmer

Dia 25/10 (Terça) | 19h às 20h30: Jefferson Costa

Dia 26/10 (Quarta) | 19h às 20h30: Zanzim

Dia 27/10 (Quinta) | 18h30 às 20h: Fabiane Longona

Dia 28/10 (Sexta) | 19h às 20h30: Fernando Gonsales

Dia 29/10 (Sábado) | 16h30 às 18h: Marcelo Lelis

Na bienal, o público pode participar de palestras, debates, masterclass, lançamento de livros e noite de autógrafos com a presença dos maiores autores internacionais, nacionais e locais. De segunda a sexta, a programação da bienal começa às 9 horas. Aos sábados e domingos, às 10 horas. Em todos os dias, seguirá até as 22 horas.

INGRESSOS
 

• O primeiro lote de ingressos de cada dia é gratuito. Após o término do lote promocional, o público pode comprar os ingressos por R$10,00 pela meia social (com doação de 1kg de alimentos) e R$ 20,00 a inteira. A Bilb também terá meia-entrada liberada (permitida por lei). Para isso, é necessária a apresentação de documento de comprovação;

• Professores não pagam entrada (necessário apresentação de documento de comprovação);

• Crianças até 12 anos de idade têm entrada gratuita;

• O ingresso de entrada no evento não dá acesso ao palco musical. Para conferir os shows musicais, fora da área de visitação dos estandes, os interessados devem adquirir seu ingresso no site da Bilb,

• É necessário ter atenção com as regras de boas práticas. Haverá ecocopos, ecobags, lixo reciclável, depósito de lixo eletrônico, troca e doação de livros.

Bienal

Ao longo das quatro edições anteriores, o projeto recebeu mais de 1,5 milhão de visitantes, dentre os quais cerca de 200 mil eram estudantes das redes pública e particular de ensino do Distrito Federal. O público teve a oportunidade de assistir a palestras e debates de mais de 470 escritores brasileiros e estrangeiros.

Além disso, a bienal lançou 600 livros de mais de 60 países, com 120 seminários e debates, além de apresentações de 161 artistas e grupos brasileiros.

Assim como o público em geral, o mercado editorial e literário foi muito beneficiado pela bienal, nas quatro edições anteriores. Editoras e revendedoras participantes comercializaram mais de 600 mil livros. No total, alunos e professores da rede pública do DF também movimentaram cerca de R$ 7 milhões com vale-livro. 

Continue lendo no OtaGeek:

E se você gostou do nosso conteúdo, apoie-nos através das nossas redes sociais e acompanhe nosso podcast

Facebook RSS Youtube Spotify Twitch


Receba conteúdos exclusivos!

Garantimos que você não irá receber spam!

Compartilhe essa matéria!
Luna | A Patroa da Redação
Luna | A Patroa da Redação

Já pensou em começar a valorizar o Jornalismo Cultural Independente hoje?

Artigos: 1325
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários