Crítica | O Caso Figo: A Transferência que Mudou o Futebol

Um novo documentário esportivo chegou à Netflix. O caso Figo: A Transferência que Mudou o Futebol conta os meios que levaram o até então ídolo Catatão de Barcelona Luís Figo a se mudar para Madrid e a vestir a camisa branca merengue nos anos 2000. 

Luís Figo com a camisa do Real Madrid.
Luís Figo

Bem, o futebol é cheio de acontecimentos que chocam os amantes do esporte, principalmente quando o assunto é a mudança de tal jogador de um clube para outro. Mas, antes mesmo dessas movimentações se tornarem “normais” nos dias de hoje, eis que Luís Figo chocou o mundo esportivo quando optou por transferir-se para o único clube que ninguém esperava, o Real Madrid

A possibilidade de Figo se transferir para o Real Madrid era algo impensável, pelo simples fato do jogador ser ídolo do Barcelona. Figo, além de ter ganhado títulos importantes e ser o capitão do time, o jogador era a “cara” do clube e um símbolo para todos que admiravam e torciam para o time Catalão. E, só para se ter uma ideia, hoje em dia seria como se o Lionel Messi fosse para o Real Madrid.

Mas, então, como tudo começou?

Luís Figo jogando pelo Barcelona.
Luís Figo

O portugues Luís Figo iniciou a sua carreira no Sporting Clube de Portugal. Se destacando rapidamente, mesmo que ainda jovem, o atleta logo chamou a atenção de vários clubes europeus, sendo um deles o Barcelona

Entretanto, antes mesmo de chegar na Espanha, o jogador quase se transferiu para a Itália. Tendo assinado um acordo com o Parma e a Juventus ao mesmo tempo, a Federação Italiana de Futebol proibiu o jogador de se transferir para qualquer que seja o clube. Assim, impossibilitando a chance do atleta de jogar no país naquela época. 

Eis que o Barcelona despertou o interesse pelo jogador. E, em 1995, Luís Figo se transferiu para o time espanhol e rapidamente se tornou ídolo do clube e um dos melhores jogadores daquela época. 

O Caso Figo é um bom documentário?

Florentino Perez  e  Luís Figo na apresentação do Jogador no Real Madrid.
Florentino Pérez e Luís Figo

Um dos pontos que mais me chamou atenção foi o número de protagonistas envolvidos no documentário. Mesmo que Luís Figo seja o nome principal e que a história gira em torno dele, Florentino Pérez (candidato e atual presidente do Real Madrid) e José Veiga (empresário do jogador) são duas peças essenciais para o desenvolvimento do documentário. 

Pois, mesmo que tenhamos várias versões sobre o mesmo acontecimento, todos convergem diretamente para a decisão que Figo iria tomar no futuro. E essa decisão é ainda mais inacreditável quando entendemos como ela aconteceu. 

Na temporada de 1999-2000, o Real Madrid ganhou a Liga dos Campeões da Europa. Naquele mesmo ano, o clube tinha eleições presidenciais, e um dos nomes que apareceu para competir com o atual presidente, Lorenzo Sanz, foi o de Florentino Pérez. Eis que um dos argumentos que Florentino tinha para aumentar a sua chance de vitória era de que, se ganhasse, traria ninguém menos que Luís Figo, o atual jogador e ídolo do Barcelona

E isso é muito relevante para entendermos esse Real Madrid que vimos nos últimos anos. Pois essa ideia do Clube Galáctico começou com uma proposta de Florentino para ganhar as eleições, que, aliás, rapidamente se concretizou durante o seu mandato. 

Pois bem, nisso o documentário é riquíssimo! Além de trazer vários momentos daquela época, com entrevistas, comentários e a repercussão real do caso nas mídias, o longa conta com personagens importantes daquela época, comentando como tudo aconteceu. 

Um deles é o Pep Guardiola – ídolo do Barcelona (como técnico e jogador) e atual técnico do Manchester City. Guardiola comenta como era inimaginável aquela transferência ser realizada.

Também temos Roberto Carlos. O brasileiro que já fazia parte do elenco do Real Madrid conta essa ideia que pairava em Madrid e a filosofia que existia no clube. Ou seja, essa pretensão de construir o maior time e o mais vitorioso do mundo

Luís Figo no caótico jogo contra o Barcelona no Camp Nou.
Luís Figo

Logo, com a vitória de Florentino, Figo acaba indo para o Real Madrid. Com isso, toda a torcida do Barcelona começou a taxar o jogador de traidor, Judas e tudo mais que podemos relacionar com essas palavras

Um dos acontecimentos mais marcantes daquele ano foi o confronto entre Barcelona e Real Madrid no Camp Nou, três meses após a ida de Figo. O lugar era um caos, com xingamentos ao jogador e à sua família ecoando por todo o estádio. Garrafas, e até uma cabeça de porco, foram jogadas no gramado. 

Contudo, Figo ainda comenta que mesmo com todo esses ocorridos, a sua decisão foi a melhor que ele poderia ter feito na carreira. Pois, além de inúmeros títulos, o jogador foi nomeado o melhor jogador do mundo vestindo a camisa do Real Madrid.

Galácticos de Madrid.
David Beckham, Luís Figo, Forentino Pérez, Zidane e Ronaldo Fenômeno

Além do mais, Florentino fala claramente que Figo foi o pioneiro para a formação dos Galáticos de Madrid. Pois, após a vinda dele, Ronaldo Fenômeno, Beckham, Michael Owen, Makélélé e Zidane acabaram chegando ao clube, formando um dos dos melhores plantéis já construídos em um time de futebol. 

No mais, O Caso Figo é um documentário riquíssimo para todos os amantes de esporte e principalmente de futebol. É aquele tipo de produção que traz às claras todo o caos que pairou naqueles meses, e como o patamar do Real Madrid e a forma como os jogadores começaram administrar a sua carreira mudariam para sempre. 

Veja o trailer:

O caso Figo: A Transferência que Mudou o Futebol você confere com exclusividade na Netflix.

Leia também:

Crítica | O Predador: A Caçada é inexplicavelmente encantador

Crítica | “Cano Serrado” e a corrupção policial

E se você gostou do nosso conteúdo, apoie-nos através das nossas redes sociais e acompanhe nosso podcast

Facebook RSS Youtube Spotify Twitch


Receba conteúdos exclusivos!

Garantimos que você não irá receber spam!

Compartilhe essa matéria!
Lucas Almeida
Lucas Almeida
Artigos: 256
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários