Crítica | Phoenix Rising: “Eu fiz um novo amigo… BUUUM.”5 minutos

Desde a adolescência, Evan Rachel Wood está presente de alguma forma nos holofotes de Hollywood. Com uma carreira relativamente constante nos cinemas ao mesmo tempo que esteve em um relacionamento com o cantor Marilyn Manson. A atriz relata no documentário Phoenix Rising, esse que foi o pior momento da sua vida.

Com o início das filmagens em 2019, Phoenix Rising é dirigido por Amy Berg. Nele podemos acompanhar no mais íntimo, a história de vida da atriz protagonista de Westword Evan Rachel Wood. Sendo narrado por ela, o documentário traz a sua infância, adolescência e como a atriz conseguiu suportar os traumáticos anos de abuso e violência que viveu ao lado de Marilyn Manson.  

Evan Rachel Wood
Evan Rachel Wood

Antes de mais nada Phoenix Rising, é o livro aberto da vida da atriz. Logo de início, Wood já relata o quão difícil foi a sua infância. Com inúmeras brigas em casa, o seu único refúgio era o seu irmão David Wood. Contudo, após a separação de seus pais, a pequena Wood, acabou se distanciando de seu pai e ficando longe de seu irmão, quando escolheu viver com a sua mãe.

Enfim com alguns trabalhos no decorrer dos anos, eis que seu rosto passou a ser conhecido em meio às celebridades. Numa determinada festa, Wood, de 19 anos, conhece e começa a se aproximar do cantor de 37 anos Marilyn Mason. o ousado, excêntrico e veterano astro do rock. 

 Evan Rachel Wood e Marilyn Manson
Evan Rachel Wood e Marilyn Manson

Sendo relatado pela própria atriz, ser amiga de uma personalidade tão icônica quanto Manson, era algo inacreditável. Vivendo uma vida solitária e longe da família, as artimanhas e jogos psicológicos implantados pelo cantor, começaram a aparecer. A partir daí, Wood se sentia cada vez mais presa ao astro, tendo-o como a única pessoa que estava ao seu lado. 

Antes de entrar de fato nos acontecimentos, tenho que ressaltar o belíssimo e corajoso trabalho trago pela diretora e pela própria atriz. Com relatos fortes, junto a imagens e materiais pessoais da atriz, conseguimos ter a clara dimensão da personalidade de Mason e o quanto ela e outras mulheres sofreram em suas mãos.

Phoenix Rising
Phoenix Rising

Ao mesmo tempo que o documentário busca expor as feridas da atriz, há também o desejo de revolta e amparo a outras que sofreram o mesmo. Como por exemplo, a união com outras sobreviventes de violência doméstica em busca da mudança do estatuto, quanto ao período legal para acusações na Califórnia.

Além disso, Wood dá abertura a outras mulheres exporem o período que tiveram num relacionamento com Mason. Enquanto vamos ouvindo e as imagens vão ilustrando os fatos, acaba sendo doloroso e extremamente agoniante assistir. Visto que não só os depoimentos são parecidos, mas por descobrir o que essas mulheres viveram nas mãos dele.

Dito isso, se para nós é difícil de acompanhar os fatos, imagina para essas mulheres. E a coragem de Wood em relembrar o trauma da sua vida e expor nos mínimos detalhes é o que pauta Phoenix Rising.

Evan Rachel Wood em cena de Phoenix Rising
Evan Rachel Wood em cena de Phoenix Rising

Em cada nova revelação que é nos apresentada, a produção acaba nos despedaçando ainda mais. Manson, não a deixava dormir, a dopava com todo tipo de droga, a violentava psicologicamente e mentalmente, ou seja, Wood esteve à beira da morte

Em uma outra revelação, Evan Rachel Wood traz o terrível dia de gravação do clipe Heart-Shaped Glasses. Canção que o astro diz ter escrito para a Wood, a atriz – que tinha apenas 19 anos – diz ter sido violentada e estuprada na gravação do clipe. Ainda que Manson nega os fatos, na época vários portais comentaram sobre, falando que as cenas não foram simuladas.

Bem, é fato que Marilyn Manson nega as acusações, como vemos ao final do documentário. Porém, Phoenix Rising é um poderosíssimo relato que expõe como a indústria ainda contribui para encobrir casos como este. E Evan Rachel Wood, traz de forma crua e direta o pior momento da sua vida e enfatiza que ela como tantas outras mulheres não precisam se calar, pois nunca mais estarão sozinhas.

Veja o trailer:

Phoenix Rising já se encontra disponível com exclusividade no catálogo da HBO Max.

Leia também:

6 filmes que você precisa assistir (antes ou durante) Round 6

Critica | Sonic 2: O Filme é uma ótima continuação para o filme de 2020 e uma diversão solida para toda a família

Crítica | Cavaleiro da Lua – episódios 1 e 2 traz nova mitologia mística ao MCU

E se você gostou do nosso conteúdo, apoie-nos através das nossas redes sociais e acompanhe nosso podcast

Facebook RSS Youtube Spotify Twitch


Receba conteúdos exclusivos!

Garantimos que você não irá receber spam!

Compartilhe essa matéria!
Imagem padrão
Lucas Almeida
Artigos: 181
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários