Crítica | Pacificador: o ápice de James Gunn5 minutos

Quem imaginaria que o diretor responsável por apresentar Os Guardiões da Galáxia no universo cinematográfico da Marvel seria a pessoa que iria começar essa nova cara da DC na HBO Max com Pacificador

James Gunn foi – e ainda é – um dos cineastas mais importantes da vitoriosa era dos heróis da Marvel nos cinemas. Sendo o diretor por trás do surgimento definitivo do universo galáctico do MCU, Gunn apresentou um grupo até então desconhecido, que rapidamente entrou nas graças do público. 

Quando o Vol. 3 de Os Guardiões da Galáxia estava preste a começar, James Gunn foi demitido do projeto por conta de piadas sobre pedofilia feitas no twitter há cerca de 10 anos, resgatadas pela extrema direita norte-americana. Rapidamente, a Warner o convidou para escolher o projeto que quisesse dentro do seu plantel de heróis da DC, o que o levou a realizar O Esquadrão Suicida (2021) e, logo em seguida, o spin-off em formato de série de TV focado no anti-herói Pacificador

É válido também lembrar que James Gunn foi contratado novamente pela Marvel e vai realizar o terceiro e último filme do grupo original de Os guardiões da Galáxia, além da segunda temporada de Pacificador, que mesmo antes da exibição do episódio final, já tinha sido confirmada. 

Mas e então, a série do Pacificador é boa mesmo?

Antes de mais nada, que tal rever essa abertura incrível?

James Gunn é, sem dúvidas, um diretor de muita competência, que soube se aprimorar com o passar dos anos através dos projetos que foi realizando. A série do Pacificador consagra o ápice de sua direção e o controle narrativo de suas obras. Digo isso, pois aqui o cineasta consegue colocar vários elementos e assuntos relevantes, em meio a uma narrativa sarcástica, violenta e extremamente engraçada

Pacificador é um projeto honesto, que encarou a proposta de desenvolver o personagem mais antipático que tínhamos visto em Esquadrão. Além disso, Gunn se propôs a trazer ainda mais os holofotes e, logo de cara, o protagonismo a um ator cheio de limitações: John Cena! E mesmo com a possibilidade de escolher qualquer personagem para esse derivado, o astro da WWE foi o escolhido. E John Cena soube como ninguém aproveitar a chance que lhe foi dada. 

John Cena - Pacificador
John Cena – Pacificador.

Desde o material de divulgação e os lugares aos quais Cena compareceu, o astro parecia estar extremamente empolgado com a oportunidade que tinha surgido em sua carreira. Mas o mesmo não acontece com seu personagem: o Pacificador é apresentado na série como um pessoa com enormes problemas familiares, que pouco a pouco foram desenvolvidos na história.

O interessante é que em nenhum momento a ideia montada em torno dessa personalidade é desfeita. Gunn não busca humanizar o Pacificador, trazendo apenas os acontecimentos trágicos envolvendo seu passado. O diretor encontra em personagens escondidos nas histórias da DC o meio de nos fazer simpatizar com a pessoa que é o Pacificador

O principal artifício para realizar esse feito é a “criação” do Vigilante (Freddie Stroma). O fã número 1 do personagem-título é engraçado, violento e extremamente ingênuo. Ele segue John Smith – o Pacificador – onde quer que ele esteja e vê em seus passos o caminho para ser um super-herói. 

Outro personagem importante para tal é o neonazista Auggie Smith/Dragão Branco (Robert Patrick). Sendo o pai do protagonista, Auggie está aqui para nos fazer entender e justificar o caminho percorrido por Pacificador em Esquadrão, além de expor as críticas anti-conservadoras de Gunn.

Pacificador
Pacificador

Além deles, Adebayo (Danielle Brooks), John Economos (Steve Agee) e Harcourt (Jennifer Holland) fecham esse núcleo de amizade e parceria, que aos poucos vai se entrelaçando como forma de questionar as atitudes do protagonista da história. Depois, isso fornece uma possibilidade de desenvolvimento e a famosa construção de empatia do personagem. 

Há uma ótima construção, além de empolgantes e hilárias cenas de ação. Harcourt impõe todo o seu treinamento e força, Adebayo é a coragem e a determinação em pessoa e o Vigilante acaba sendo muito mais do que apenas o Deadpool genérico. E ainda temos Eagly, a águia de estimação feita totalmente em CGI, que não mede esforços para matar quem ameaça de alguma forma seu dono. 

No mais, Pacificador é o principal e mais atento projeto do seu diretor. Ademais, possui inúmeras indiretas políticas, e ainda podemos ver tudo isso escancarada num dos personagens mais desprezíveis do universo de heróis. James Gunn não se esconde e ainda consegue tirar sarro da estupidez existente num ser humano. Entrega também o melhor e mais confortável personagem para John Cena interpretar, numa série cheia de Hard Rock. E logo mais veremos a sua continuação.

Veja o trailer:

Pacificador pode ser conferida com exclusividade na HBO Max.

Leia também:

E se você gostou do nosso conteúdo, apoie-nos através das nossas redes sociais e acompanhe nosso podcast

Facebook RSS Youtube Spotify Twitch


Receba conteúdos exclusivos!

Garantimos que você não irá receber spam!

Compartilhe essa matéria!
Imagem padrão
Lucas Almeida
Artigos: 181
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários