Crítica | Vingança e Castigo: um faroeste incrível para a Netflix4 minutos

O filme Vingança e Castigo, contempla a primeira aventura em longa-metragem de Jeymes Samuel, popularmente conhecido como The Bullitts. Logo de cara, acabei ficando extremamente feliz com esse projeto, não só pela aposta da Netflix, mas em tudo que de fato cerca essa nova produção.

Idris Elba,  Regina King e Lakeith Stanfield em cena de Vingança e Castigo
Idris Elba, Regina King e Lakeith Stanfield em cena de Vingança e Castigo

Esse projeto que reúne um dos melhores elenco já visto ultimamente, custou mais de 90 milhões de dólares, fazendo jus ao orçamento, pelo trabalho final entregue no longa. Em relação ao orçamento, fico até impressionado pela iniciativa da Netflix, mesmo sabendo a diferença em lançar um filme para o streaming do que para o cinema.

Pois, o Western, gênero de faroeste consagrado a anos atrás, já há algum tempo vem perdendo forças e se tornando produções raras e de grande orçamento hoje em dia. E, quando Jeymes Samuel – um apaixonado por faroeste – traz um elenco majoritariamente negro e mulheres em destaque, fica claro o seu posicionamento enquanto a esta produção.

Nos cinemas de faroeste, é nítido e constante a soberania de representação de homens brancos nas histórias. Há algumas quebras nesse quesito, como foi o caso de Django Livre do diretor Quentin Tarantino, em que o protagonista da história, Django, interpretado por Jamie Foxx, foi de escravo a delegado caçador de criminosos.

Danielle Deadwyler em cena de Vingança e Castigo
Danielle Deadwyler em cena de Vingança e Castigo

Logo, é notório o cinema de Tarantino ser uma das principais inspirações de Jeymes Samuel para seu filme. Vingança e Castigo, traz a violência de forma estilizada e uma narrativa que te prende do começo ao fim. Isso ocorre, muito pela entrega dos atores, que mesmo com pouco tempo de tela, demonstram a paixão pelo projeto. Mas também, pelo fato da narrativa sempre estar em movimento e, sem perceber, já chegamos no seu clímax final. 

 Rj Cyler em cena de Vingança e Castigo
Rj Cyler em cena de Vingança e Castigo

Além da representatividade, Mihai Malaimare Jr. vem com uma fotografia mais viva, com figurinos vibrantes que se destacam em meio a cidade do Velho Oeste. As músicas possuem a contribuição do diretor e também de Jay – Z (um dos produtores do longa), que se descolam da ideia já estabelecida a estas histórias, trazendo um frescor ao gênero e um “ar” único ao projeto.

Jonathan Majors  e  Zazie Beetz em cena de ação de Vingança e Castigo
Jonathan Majors e Zazie Beetz em cena de ação de Vingança e Castigo

Outro ponto que consagra a excelência do longa, está em relação ao elenco. Jonathan Majors e Idris Elba – os dois protagonistas – se destacam em meio a todos. Mas, é válido citar Regina King, Lakeith Stanfield, Zazie Beetz, Rj Cyler, Danielle Deadwyler e o incrível Delroy Lindo, pela ótima contribuição ao projeto. 

No mais, Vingança e Castigo é acima de tudo, um projeto importantíssimo para todos. Em tempos que o racismo ainda permeia entre nós e principalmente na indústria cinematográfica, é extremamente prazeroso assistir a projetos como este. Jeymes Samuel, traz uma narrativa eficiente e um elenco cirúrgico. Além, é claro, de homenagear personalidades negras históricas do Velho Oeste.  

Veja o trailer:

Leia também:

Crítica | Army of Thieves (Exército de Ladrões: Invasão da Europa)

Depois do Universo | Netflix anuncia novo filme brasileiro que reúne romance e drama

Só se for por amor: Sofrência embala a nova série da nacional da Netflix

E se você gostou do nosso conteúdo, apoie-nos através das nossas redes sociais e acompanhe nosso podcast

Facebook RSS Youtube Spotify Twitch


Receba conteúdos exclusivos!

Garantimos que você não irá receber spam!

Compartilhe essa matéria!
Imagem padrão
Lucas Almeida
Artigos: 97
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários