Crítica | On My Block parte nossos corações e se despede com uma ótima temporada final9 minutos

Levando-nos do riso ao choro em segundos, On My Block chegou no dia 04 de outubro com sua última temporada na Netflix. Sua quarta parte vem com a missão de encerrar os arcos abertos em seus anos anteriores. Assim, cumpre seu papel com alguns fechamentos excelentes e outros nem tanto, mas de qualquer forma, deixa os fãs com muitas emoções e uma temporada muito boa.

E para aqueles que não sabem do que estamos falando, está na hora de conhecer uma das melhores séries da Netflix. On My Block acompanha os adolescentes Cesar, Monse, Jamal e Ruby, que moram em Freeridge, uma região marginalizada de Los Angeles. Cesar é irmão de um dos líderes dos Santos, uma das gangues que dominam o bairro. Então, seus amigos tentam seu melhor para livrar Cesar desse futuro, que parece inevitável.

Confira também os 7 motivos que fazem de On My Block uma das melhores séries da Netflix.

Situando-nos

Mas falando agora dessa temporada final… para começar, a temporada anterior deixou os fãs roendo as unhas. E assim começa essa nova fase. Com um espaço de tempo de dois anos entre as duas temporadas, dói o coração ver que tudo pelo que lutaram nas temporadas anteriores foi em vão.

Os primeiros episódios servem para nos ambientar nessa nova realidade do grupo de amigos de Freeridge, mostrando o dia-a-dia de cada um e como está a relação entre os personagens. Assim, por meio de conversas e flashbacks, vamos descobrindo o que aconteceu durante esses dois anos e compreendendo por que as coisas estão como estão.

Ruby segurando bandeirinhas de "vote no Ruby" - Crítica temporada final - Otageek

As consequências de ações passadas forçam o grupo a se relacionar, e é interessante ver como os problemas vão se desenvolvendo em ordem: aqueles mais superficiais são os primeiros a se desenrolarem e, para o fim, ficam os problemas mais sérios e profundos. E no meio tempo, estão aqueles que não são nem um, nem outro.

Uma perfeita comédia dramática

E entre problemas da vida, como a escola, dinheiro, doenças e relacionamentos, e problemas gerados pela violência das ruas, On My Block encontra o perfeito equilíbrio entre o drama e a comédia. Num momento estamos em lágrimas, impactados com os acontecimentos, e no seguinte estamos rindo (os divertidamente da nossa cabeça ficam perdidinhos.) E a comédia, é claro, é carregada, em sua maior parte, majestosamente pelo ator Brett Gray, que dá vida a Jamal.

Jamal gritando imitando o Pé Grande - Crítica - On My Block parte nossos corações e se despede com uma ótima temporada final - Otageek

Jamal volta no ponto, e arrisco dizer que está ainda mais engraçado que nas outras temporadas. Confira os 10 Momentos Mais Engraçados do Jamal (até a terceira temporada). Logo no início dessa etapa, temos uma cena na delegacia que dita o tom da comédia que a série segue até o final. E essa cena também serve para mostrar a sincronia do grupo de amigos, mesmo tendo passado dois anos afastados.

Porém, a última temporada também deixa a desejar. Na tentativa de encerrar todos os arcos possíveis em apenas 10 episódios de 30 minutos, algumas resoluções acabam sendo rápidas demais e parecem incluídas só para dizer que não faltou, mas talvez tivesse sido melhor não ter incluído.

Decepções no Caminho

Mas a maior decepção deve vir do arco do casal principal. E para falar um pouquinho mais deles, fica aqui um ALERTA DE SPOILER para os próximos parágrafos.

Não é segredo que Cesar e Monse é o casal dessa série. Desde o primeiro episódio, isso é estabelecido. E durante três temporadas, vemos Monse lutar pelo seu amor em mais idas e vindas do que gostaríamos. Portanto, é decepcionante ver como On My Block carrega esse arco nessa temporada.

Mesmo sendo necessário e até emocionante ver como a relação dos dois é testada diante da nova realidade das gangues vivida por Cesar e completamente compreensível Monse deixá-lo por isso, o que vem depois é sem sentido.

Cesar e Monse lado a lado - Crítica temporada final - Otageek

Isso em grande parte por causa da personagem Vero. A nova namorada de Cesar não é explorada o suficiente e, apesar de parecer ter um papel importante na vida do rapaz, a série não lhe dá espaço o suficiente para justificar o apego que Cesar tem por ela, a ponto de escolhê-la ao invés de Monse.

Assim, esse arco se torna uma bola de neve, levando, por exemplo, às cenas do baile de formatura, que só parecem não ter conexão de causa e consequência uma com a outra. Hora Cesar está com Vero, mas daí quer estar com Monse. Em seguida, escolhe Vero novamente, mas no minuto seguinte está abraçado com Monse nas escadas…

Tudo para terminar em uma frase clichê ao olhar para Monse e questionar sobre o futuro deles. E nesse momento, a gente só não faz ideia de onde está Vero e em que situação eles estão. Isso sem falar na enrolação que foi o momento em que Vero descobre sobre a traição de Cesar. Ao mesmo tempo em que ele não quer terminar com ela, ele não abandona a possibilidade de estar com a Monse.

FIM DO SPOILER.

Atuações Marcantes

Entretanto, os erros cometidos nessa temporada não são mais fortes que os acertos. E se teve um acerto, foram as atuações de Julio Macias como Oscar e Diego Tinoco como Cesar. Os mais atentos devem ter percebido que, ao menos no áudio original, a voz de Oscar durante esta temporada estava diferente: mais fina, mais gentil.

E aqueles ainda mais atentos devem ter notado que, durante uma cena na terceira temporada, em um momento de vulnerabilidade de Oscar, conseguimos literalmente ouvir sua voz mudar de tom, ao começar na voz grave, usada para intimidar, a voz do líder de uma gangue, e então descer para um tom mais fino, de alguém que sofre, sente e chora.

Oscar conversando com Cesar - Crítica - On My Block parte nossos corações e se despede com uma ótima temporada final - Otageek

E Diego Tinoco se apossa dessa técnica nessa temporada para demonstrar a totalidade de seu personagem. Novamente, principalmente nos flashbacks, podemos ouvir os momentos em que sua voz muda, começando a cena lá embaixo e terminando no tom mais grave.

Então, é incrível como, através dessas tonalidades, nós conseguimos captar muito mais dos personagens do que está sendo visto ou dito. Assim, Julio e Diego foram capazes de trazer isso aos seus personagens, deixando-nos à flor da pele apenas por ouvir a tonalidade com que eles estão falando.

Diego Tinoco e Sierra Capri (a Monse), apesar do caminho pelo qual o roteiro os leva, também mostram toda a química que existe entre eles, visto que não é preciso de muitas palavras para nos fazer entender o que está acontecendo entre o casal.

Cesar, Vero e Monse no mercado - Crítica - On My Block parte nossos corações e se despede com uma ótima temporada final - Otageek

A Violência

Além disso, On My Block reforça nessa temporada o que tem sido um de seus pontos principais: a realidade violenta nas comunidades latinas e negras nos Estados Unidos, tendo aí uma seleção de cenas durante suas quatro temporadas que são um choque de realidade para todos, principalmente quando percebemos como as vidas de muitas crianças são tomadas por isso.

Latrelle com roupa de presidiario - Crítica - On My Block parte nossos corações e se despede com uma ótima temporada final - Otageek

E, infelizmente, essa não é a realidade de apenas um lugar. Lidar com esse assunto talvez seja o maior mérito de On My Block, que parte nosso coração a cada constatação, extremamente necessária, de que a violência acaba e arruina a vida de muitos, e de que essa realidade não está tão longe. Ela está acontecendo em nossos quintais.

A série também impacta ao sempre mostrar os dois lados da moeda.

E o que vem por aí?

Logo, On My Block entrega uma última temporada muito boa, que fecha quase todos os arcos. A série deixa em aberto a situação futura das gangues que comandam Freeridge, ficando com uma sensação de perigo e caos. Porém, essa uma escolha provavelmente pensada, visto que já foi confirmada uma série spin-off intitulada Freeridge, continuando a história do local, mas deixando para trás os personagens já conhecidos de On My Block.

Monse, Cesar, Ruby e Jamal olhando um mapa - Crítica - On My Block parte nossos corações e se despede com uma ótima temporada final - Otageek

Enfim, é interessante ver como a série se despede dos personagens ainda os deixando com alguns problemas, pois, diferentemente de todas as outras seasons finale, os problemas que Jamal, Ruby, Cesar, Monse e Jasmine precisam enfrentar dessa vez são os problemas da vida, problemas comuns, e que não tem nada a ver com gangues, sequestros, assassinatos ou caças ao tesouro (bom, talvez um pouquinho a ver com esse último aí).

E só lembrando que todas as temporadas estão disponíveis na Netflix. Então, se você ainda não viu, corra lá para maratonar!

Continue Lendo:

E se você gostou do nosso conteúdo, apoie-nos através das nossas redes sociais e acompanhe nosso podcast

Facebook RSS Youtube Spotify Twitch


Receba conteúdos exclusivos!

Garantimos que você não irá receber spam!

Compartilhe essa matéria!
Imagem padrão
Nathalia Mendes
Artigos: 76
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários