Crítica | All Star Underdog #1 na POC Con 20212 minutos

História de esporte, confira a crítica de All Star Underdog, que começa com o pé direito em quadrinho digital na POC Con 2021.

Capa de All Star Underdog #1
Capa de All Star Underdog.

Como fã de mangás e animes de esportes como Kuroko no Basket e Slam Dunk, a capa de All Star Underdog #1 já me chamou a atenção. Um quadrinho de esportes brasileiro… como eu poderia resistir?

A história começa com a nossa protagonista Miriam, estrela do time de basquete da escola, mostrando todo o seu talento. Depois do jogo, ela é chamada pelo técnico do time, falando que um olheiro da CBB (Confederação Brasileira de Basquete) está interessado nela, mas que ela deve se conter nas comemorações com sua “amiga”, ou a escola não a recomendará para a confederação.

Diante da injustiça de ter que escolher entre esconder quem ela é ou o basquete, esporte que ela adora, a mesma se enfurece e decide não jogar mais. Já no ensino superior, correndo o risco de perder a bolsa de estudos, ela resolve se juntar ao time de basquete feminino da Faculdade do Arco Verde.

All Star Underdog time feminino
Miriam conhece sua equipe.

A primeira edição nos apresenta a protagonista e seus problemas, assim como nos dá um vislumbre das suas colegas de equipe.

A arte de Odmir Fortes e o roteiro de Clarice França e Thiago Rosa nos deixam interessados na história e curiosos para saber o que vai acontecer em seguida. Aguardo ansioso pelas próximas edições.

Depois de ler a crítica de All Star Underdog #1, a HQ está disponível gratuitamente na Gibiteca Digital Poc Con.

Conteúdo Relacionado:


E se você gostou do nosso conteúdo, apoie-nos através das nossas redes sociais e acompanhe nosso podcast

Facebook RSS Youtube Spotify Twitch


Receba conteúdos exclusivos!

Garantimos que você não irá receber spam!

Compartilhe essa matéria!
Imagem padrão
Danilo Profirio
Artigos: 131
Se inscrever
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais velho
Mais novo Mais votado
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
Ana

Apontamentos muito pertinentes, parabéns pela crítica.