Crítica | ‘Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis’ é uma carta de amor aos filmes de artes marciais e assalto6 minutos

“Em ‘Shang-Chi e a Lenda dos Dez Aneis", Shang-Chi é um jovem chinês criado por seu pai em reclusão, sendo treinado em artes marciais. Quando ele tem a chance de entrar em contato com o resto do mundo, logo percebe que seu pai não é o humanitário que dizia ser, vendo-se obrigado a se rebelar.

O Universo Cinematográfico Marvel chegou na marca de 25 longas com ‘Shang-Chi e a Lenda dos Dez Aneis’. Nessa altura do campeonato, o filme poderia ter tudo para ser apenas mais uma introdução de herói nesse vasto universo conectado, criado em 2008 com Homem de Ferro. Mas o filme vai além e prova que o MCU ainda tem muitas histórias para serem contadas!

Katy, Shang-Chi e Xialing
Katy, Shang-Chi e Xialing | Reprodução: Disney/Marvel.

‘Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis’ quebra qualquer expectativa prévia e nos leva à tradicional jornada do herói, mas dessa vez com outro cenário, cultura e personagens. Simu Liu, que já trabalhou como dublê, abraça a oportunidade e se entrega ao personagem, conseguindo conquistar o seu espaço e garantindo respeito para seu posto de herói da Casa das Ideias.

Assim como sua versão nos quadrinhos, que foi criada por Steve Englehart e Jim Starlin no início dos anos 70, o longa é uma carta de amor aos filmes de artes marciais e assalto. É impossível não lembrar das sequências protagonizadas por Jet Li, Bruce Lee e Jackie Chan!

Um espaço ainda desconhecido no Universo Marvel

Falando sobre a trama, em ‘Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis’, Shang-Chi é um jovem chinês criado por seu pai em reclusão, sendo treinado em artes marciais. Mas quando ele enfim tem a chance de entrar em contato com o resto do mundo, logo percebe que seu pai não é o humanitário que dizia ser, vendo-se obrigado a se rebelar. Agora, Shang-Chi deve confrontar o passado que ele acreditava ter deixado para trás quando é atraído para a rede de mistérios da organização Dez Anéis.

Shang-Chi fazendo pose de luta em um metrô
Pode prosseguir com a leitura que a crítica é SEM SPOILER!

Além de nosso protagonista, no começo do filme conhecemos sua melhor amiga e sidekick Katy, interpretada pela comediante e atriz Awkwafina, que rouba a cena e consegue ir além de apenas uma sombra ou parceira do lutador.

Não apenas ela, mas todo o elenco está muito bem em seus papeis, convencendo-nos a acreditar naquele universo, o qual referencia e homenageia a cultura e mitologia chinesa e asiática como um todo. Se em Mulan a Disney fez seu trabalho de pesquisa no Wikipédia, aqui eles não comentem o mesmo erro e a produção tem o cuidado e respeito necessários para agradar os telespectadores.

Talvez seja porque 98% do elenco de ‘Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis’ é asiático e consegue trazer em tela o sentimento que tivemos em Pantera Negra, mas dessa vez para os povos asiáticos, principalmente para aqueles que possuem identidade asiático-americana.

E mesmo a história sendo sobre Shang-Chi, é inegável a simpatia que criamos por sua irmã Xialing, interpretada pela atriz Meng’er Zhang, que aqui é uma femme fatale a qual conquistou seu próprio império e compartilha as dores e laços familiares com o irmão.

Um filme que sabe aonde quer chegar

‘Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis’ é aquele tipo de filme que te engaja do começo ao fim, pois ele sabe aonde quer chegar e não perde tempo para isso. As cenas de ação já começam a se desenrolar nos primeiros minutos e nos convencem de que os perigos enfrentados pelos personagens são reais. Quando menos percebemos, estamos angustiados, com medo deles se ferirem e vibrando com suas vitórias.

Porradaria com armas asiáticas em Shang-Chi

Podemos afirmar que o mérito, em parte, vem do roteiro de Dave Callaham (‘Mulher-Maravilha 1984’), da direção de Destin Daniel Cretton (‘O Castelo de Vidro’) e da fotografia de William Pope (‘Matrix’ e primeira trilogia do cabeça de teia), junto à trilha sonora de Joel P. West, que dita o tom do filme nos momentos certos.

Conclusão

Talvez eu ainda esteja no hype por ter tido a oportunidade de ir aos cinemas após quase 2 anos, sendo meu último filme visto em tela grande ‘Aves de Rapina’. Mas posso afirmar que Shang-Chi consegue um dos melhores filmes de origem de personagem já produzidos pela Marvel. E vê-lo em uma tela IMAX faz toda a diferença, tornando a experiência única.

Protagonista usando os anéis

‘Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis’ é aquele tipo de filme que vai te arrancar risadas honestas nos momentos certos. Assim como vai te emocionar e fazê-lo torcer para que esse novo MCU cada vez mais diverso apareça mais vezes no futuro. Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis estreia nos cinemas brasileiros em 2 de setembro.

Confira o trailer:

Vale lembrar que o filme tem duas cenas pós-créditos, participações-surpresa que vão te surpreender. E podemos afirmar com todas as letras que esse é um filme MARVEL. Agradecimento especial ao time da Marvel Brasil pelo convite para a cabine de imprensa!

Continue lendo aqui no OtaGeek:


E se você gostou do nosso conteúdo, apoie-nos através das nossas redes sociais e acompanhe nosso podcast

Facebook RSS Youtube Spotify Twitch


Receba conteúdos exclusivos!

Garantimos que você não irá receber spam!

Compartilhe essa matéria!
Imagem padrão
Riuler Luciano
Jornalista Cultural, Analista de Inbound Marketing e Branding, cresceu lendo quadrinhos dos X-MEN é amante de Cultura Pop e Pequi!
Artigos: 83
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários