Crítica| Os Croods 2 se concentra no protagonismo feminino6 minutos

Em 2013, a Dreamworks produziu o filme Os Croods, que contava a história da primeira família das cavernas e dos desafios de viver em busca de comida, fugindo de predadores constantemente. Agora, oito anos depois, está chegando no Brasil a continuação desta aventura pré-histórica. Assim, o OtaGeek foi convidado à cabine de impresa para conferir Os Croods 2: Uma Nova Era.

No início, a família Crood vivia em uma caverna e não se arriscavam muitos metros para fora dela. Mas depois de conhecerem Guy, um rapaz moderno que lhes apresenta o fogo, a família se aventura pelo mundo atrás de um lugar seguro para viver, o qual eles chamam de “o amanhã”.

O segundo filme, Os Croods 2: Uma Nova Era, continua diretamente a história do primeiro. A família continua unida, porém, agora Eep e Guy começam a planejar sua vida como um casal, o que enfurece o pai, Grug. Entretanto, as coisas realmente começam a mudar quando eles conhecem os Bem-Melhores, uma família mais moderna e civilizada que quer encontrar um par para sua filha, Aurora.

Engraçado e Bonito

O filme é muito engraçado e, sendo voltado para o público infantil, às vezes exagera em piadas visuais. Entretanto, isso não acontece tanto a ponto de estragar a experiência daqueles que estão assistindo.

Ademais, Os Croods 2 também é visualmente muito bonito, explorando cores e formas ao construir cenários. E com seus animais peculiares, a imaginação dos artistas da produção pode voar solta ao criar as mais diversas combinações.

Thunk, Sandy e o tigre surpresos com a fazenda dos Bem-Melhores - Crítica Os Croods 2 - OtaGeek

As relações humanas são o ponto alto

Agora, o grande acerto deste longa é como eles tratam as relações humanas. Temos reflexões sobre a família como unidade, a individualidade de cada um, relações entre mulheres e também entre os homens e, por fim, como agir quando se deparar com o outro que é diferente.

Algo que vem como uma brisa de ar fresco ocorre logo quando Eep e Aurora são apresentadas uma à outra. Afinal, são as únicas meninas adolescentes do mundo, e o mais comum, infelizmente, seria vê-las construir uma inimizade e o surgimento de um triângulo amoroso, com uma disputa por Guy. Então, é com muita felicidade que vemos o filme tomar outra direção, ao fazê-las melhores amigas desde o princípio, excluindo já de cara a possibilidade de uma rivalização entre as meninas.

Eep e Aurora felizes por terem se conhecido - Crítica Os Croods 2 - OtaGeek

Além disso, podemos acompanhar a relação entre Grug Crood e o Sr. Bem-Melhor, que começa com uma disputa fútil em relação à sua masculinidade, como provedores de uma família, e termina em um clássico “bromance”.

Os Croods 2 continua reforçando o protagonismo feminino ao colocar as mulheres do grupo para salvar os homens em apuros. Isso reverte o já tão usado recurso da “donzela indefesa” e reforça que as mulheres são capazes de qualquer coisa, principalmente quando trabalham juntas.

Os Croods e os outros

Por muitas vezes, também podemos observar o comportamento humano ao se deparar com aquilo que é diferente. E isso vem graças à interação das duas famílias, que são extremamente opostas e vêm de lugares e culturas diferentes.

Eep estranhando a família Bem-Melhores, e Guy que está vestido como eles - Crítica - OtaGeek

Cada personagem reage a isso de uma forma: Guy se adapta facilmente, pois já vinha de um mesmo lugar que a família Bem-Melhores. Eep consegue enxergar em sua nova amiga a similaridade entre as diferenças, uma vez que as duas passaram pela mesma situação, sendo superprotegidas por seus pais e proibidas de explorar o mundo.

Ugga, a mãe da família Crood, mantém a mente aberta e está disposta a mudanças. Mas seu marido, Grug, é extremamente relutante ao aceitar um mundo diferente daquele que conhece. E nesse clima, o longa também ressalta a importância do apoio familiar, ao mesmo tempo em que deixa claro que todos também precisam de momentos privados. Dessa forma, podem se conhecer e, assim, manter uma relação melhor com aqueles à sua volta.

Vovó em posição de ataque - Crítica Os Croods 2 - OtaGeek

Enfim, outra personagem cativante é a Vovó, que nesse filme se torna uma personagem feminina empoderada. Lembrando de seus tempos de juventude, quando vivia em uma aldeia de mulheres guerreiras. Vovó está ali para lembrar as mulheres mais novas de que elas são muito mais do que imaginam.

Flintstones, são vocês?

Por fim, foi impossível não lembrar do clássico desenho Os Flintstones, que é talvez a maior referência cultural que temos quando o assunto é a idade das pedras. Assim como em Os Flintstones, o mundo dos Croods também é repleto de elementos modernos, porém feitos de uma forma pré-histórica, como o IPedra, ou uma janela que faz alusão direta à televisão. E temos muitas outras coisas, como máquinas para fazendas, chuveiros, elevadores…

Os Bem-Melhores e os Croods no elevador - Crítica Os Croods 2 - OtaGeek

Ah, e não podemos esquecer de falar da trilha sonora! Além de muito bem selecionada e posicionada dentro do filme, é fácil reconhecer na música tema e na dos créditos a voz de Jack Black, já que as duas faixas foram gravadas pelo Tenacious D!

Os Croods 2: Uma Nova Era é um filme engraçado, envolvente e que com certeza traz uma linda lição sobre relações humanas. As crianças devem ficar presas no filme graças ao seu ritmo acelerado e suas cores vibrantes. E os adultos vão se divertir e se apegar aos personagens.

Continue lendo:


E se você gostou do nosso conteúdo, apoie-nos através das nossas redes sociais e acompanhe nosso podcast

Facebook RSS Youtube Spotify Twitch


Receba conteúdos exclusivos!

Garantimos que você não irá receber spam!

Compartilhe essa matéria!
Imagem padrão
Nathalia Mendes
Artigos: 46
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários

Acompanhe o Otageek nas redes sociais

pt Português
X