Lista | Oito séries de temática LGBTQIAP+ para maratonar8 minutos

Junho é conhecido mundialmente como o Mês do Orgulho LGBTQIAP+, já que em 28 de junho de 1969 ocorreu a Rebelião de Stonewall, considerado um marco para a busca por direitos para a comunidade. E, aos poucos, indivíduos LGBTQIAP+ vêm ganhando certo espaço na mídia e na indústria artística e recebendo um lugar para o debate de suas pautas.

Por isso, selecionamos oito séries com temática LGBTQIAP+, para você conhecer melhor a história da comunidade, debates que você não tinha muita noção ou apenas para passar o tempo.

1) Pose

Atriz de Pose vestindo um traje histórico em uma imagem oficial da série
Pose, série do FX, trouxe vários debates, principalmente, sobre a comunidade transexual e a busca por políticas públicas no combate ao HIV.

Pose é um marco para a comunidade LGBTQIAP+ desde antes da sua estreia: é a série com o maior elenco principal transexual da história, bem como o maior elenco no geral. Ao todo são mais de setenta artistas transexuais atuando na série. 

Produzida por Ryan Murphy, Pose mostra a cultura dos bailes, eventos organizados pela comunidade negra LGBTQIAP+ com diversas categorias, principalmente de moda. A série tem como principal fonte o documentário Paris is Burning, e ao comparar os dois, fica claro o quanto a ambientação dos bailes no Brooklyn ficou bem feita.

Além disso, Pose foca bastante nos casos de HIV desde o começo da epidemia, quando as instituições não buscavam uma cura por ser um vírus “restrito” à comunidade LGBTQIAP+, até as primeiras tentativas de tratamento e de políticas de saúde. A série foi finalizada há algumas semanas nos EUA, e as duas primeiras temporadas estão disponíveis na Netflix.

2) Queer Eye

Elenco de Queer Eye de terno reunidos - Otageek
Os Cinco Fabulosos são responsáveis por trazer mudanças positivas para a vida de alguém, seja ela da comunidade LGBTQIAP+ ou não.

Uma produção original da Netflix, Queer Eye é um revival do reality Queer Eye for the Straight Guy, produzido pelo canal Bravo entre 2003 e 2007. No programa, cinco homens homossexuais tentam melhorar aspectos da vida de uma pessoa que precisa de mudanças positivas em sua vida. Cada um dos Cinco Fabulosos tem um foco: design, cultura, moda, gastronomia e visual/cuidados pessoais.

Durante as transformações, os Cinco Fabulosos têm a oportunidade de conhecer melhor a pessoa que pretendem trazer mudanças, e também de trazer pautas importantes sobre a comunidade LGBTQIAP+, o que acaba sendo um dos maiores trunfos da série, já que eles, em vários episódios, conversam com pessoas de fora da comunidade e tentam desconstruir algumas visões ultrapassadas.

Todas as cinco temporadas estão disponíveis na Netflix, e já foi renovada para uma sexta temporada.

3) Special

Ryan, protagonista de Otageek, deitado sorrindo em campo com flores - Otageek
Special tem como principal a aceitação das diferenças, a partir de Ryan, jovem homossexual com paralisia cerebral.

Também uma série original Netflix, Special conta a história de Ryan (Ryan O’Connell), homossexual com paralisia cerebral, e sua busca pela vida que ele deseja e merece ter. Uma comédia leve, criada pelo próprio Ryan O’Connell, e que possui um elenco muito carismático

A maior qualidade de Special é fugir dos padrões normativos: o fato de o protagonista ter paralisia cerebral abre um novo leque para o assunto, e não nos deixa presos a dois caras padrões se conhecendo e se apaixonando. Special lembra muito Atypical neste quesito, pois sua principal proposta é de mostrar que não importa suas diferenças, você tem espaço e capacidade no mundo para ter e buscar o que quiser. Para quem gosta de séries pequenas, esta é uma ótima escolha: os episódios são curtos, com menos de 30 minutos.

Infelizmente, Special foi cancelada em sua segunda temporada. Todos os episódios estão disponíveis na Netflix.

4) Glee

Elenco de Glee reunido em fundo amarelo - Otageek
Glee, em suas seis temporadas, trouxe debates variados e levantou várias bandeiras. Pautas LGBTQIAP+ estão presentes na série desde a primeira temporada.

Glee, apesar de não ter um foco total na comunidade, é uma das séries que mais levantou sua bandeira, e trouxe debates sobre diversos espectros da comunidade LGBTQIAP+. Ryan Murphy (olha ele aqui outra vez) adora trazer debates sociais para suas produções, e com Glee não era diferente: a partir de um humor ácido, a série trouxe homossexualidade, bissexualidade, transexualidade, lgbtfobia, entre outros assuntos, para os episódios.

Desta lista, Glee provavelmente é a série mais acessível: todas as temporadas estão disponiveis na Netflix, no Prime Video, no Globoplay e no Disney+.

5) Looking

Protagonistas de Looking caminhando pelas ruas de San Francisco - Otageek
Looking pecou pela falta de representatividade, mas trouxe debates de forma orgânica e natural.

Looking, apesar de focar majoritariamente em homens cis gays, é uma série muito interessante. Isto porque ela é cheia de pontos de debates, trazidos de forma orgânica e natural. Às vezes são por uma conversa despretensiosa entre personagens, às vezes são por atitudes deles, ou numa discussão qualquer entre casais, o que acaba aproximando a série da nossa realidade, levantando bandeiras e pautas sem necessariamente torná-las um tema de episódio ou trazendo-as de forma engessada. Os personagens são humanizados, cheio de erros e defeitos, e as atuações são maravilhosas.

Looking teve duas temporadas, e um telefilme para finalizar as histórias, e estará disponível a partir de amanhã na HBO Max.

6) Faking It

Protagonistas de Faking It em um fundo azul claro - Otageek
Faking It teve um final abrupto, e trouxe a pauta da intersexualidade para a história.

Faking It foi produzida pela MTV e transmitida entre 2014 e 2016. É uma comédia adolescente, cheia de clichês, mas ela tem suas peculiaridades: em Hester High, escola onde se passa a trama, os populares são aqueles que, em outras produções, seriam os diferentes. Além disso, traz debates sobre intersexualidade, que não costuma aparecer muito em produções.

Todas as temporadas de Faking It estão disponíveis no Paramount+.

7) Equal

Banner de Equal, com arte de personalidades LBGTQIAP+ - Otageek
Equal conta, em alguns episódios, momentos icônicos da comunidade LGBTQIAP+, a partir da narração de Billy Porter.

Equal é uma minissérie original do HBO Max, e traz rapidamente um pouco da história da comunidade LGBTQIAP+. Em quatro episódios de 30 minutos, narrados por Billy Porter, a série mostra vários eventos e acontecimentos que marcaram a história, e que nem sempre são lembrados. Além disso, ela mistura elementos documentais com partes encenadas, trazendo um elenco diverso e conhecido do público (principalmente para quem consome produtos LGBTQIAP+).

Os quatro episódios de Equal estarão disponíveis, a partir de amanhã, na HBO Max.

8) Todxs Nós

Protagonistas de Todxs Nós deitados em sofá - Otageek
Todxs Nós tem como principal foco a história de Rafa, jovem não-binárie e pansexual.

Produção brasileira, Todxs Nós traz, a partir de Rafa (Clara Gallo), a não-binariedade para o debate. Apesar de algumas problemáticas com o rumo dado ao tema (a julgar por como termina a primeira temporada), Todxs Nós merece estar na lista não só por trazer um recorte com pouca visibilidade para a história, como também por debater o pronome neutro, que nos últimos anos vêm sido introduzido no nosso cotidiano de forma informal, mas que ainda é alvo de piadas pela população em geral e pela própria comunidade LGBTQIAP+.

Todxs Nós foi renovada para uma segunda temporada, e terá seus episódios disponíveis, a partir de amanhã, no HBO Max.

Gostaram da lista? Existe alguma que você adicionaria? Conta pra gente nos comentários!

Links relacionados:

E se você gostou do nosso conteúdo, apoie-nos através das nossas redes sociais e acompanhe nosso podcast

Facebook RSS Youtube Spotify Twitch


Receba conteúdos exclusivos!

Garantimos que você não irá receber spam!

Compartilhe essa matéria!
Imagem padrão
Lucas Lima
Bibliotecário, seriador, aspirante a fotógrafo, pseudocinéfilo e viciado em música pop.
Artigos: 8
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários