Otageek entrevista Mattéo Gaulmier e Hervé Bonin, criadores de Life Is Strange e Ashwalkers6 minutos

Para aproveitar o lançamento do novo jogo Ashwalkers, nós do Otageek tivemos o privilégio de entrevistar os criadores do game, o diretor criativo Mattéo Gaulmier e o CEO da desenvolvedora Nameless XIII, Hervé Bonin, que também participou do processo criativo do famoso e aclamado “Life is Strange”. Confira a entrevista completa e saiba detalhes exclusivos sobre a criação de “Ashwalkers”!

Pôster oficial de "Ashwalkers". Otageek
Pôster oficial de “Ashwalkers”.
Reprodução: Divulgação

Otageek: Como foi o processo criativo de Ashwalkers?

Mattéo Gaulmier:

Foi um processo de desenvolvimento constante, tentando encontrar o equilíbrio entre a atmosfera do jogo, o ritmo, as dificuldades e a consistência da história. Nós queríamos manter a experiência narrativa do game play e das dificuldades bem balanceadas. Nós retiramos alguns recursos do game play porque estavam tirando o jogo da vibe que queríamos transmitir.

Essa produção foi monitorada por toda a equipe com bastante cuidado e nós examinávamos constantemente cada adição que fazíamos ao projeto. Sempre nos perguntando: “Isso ainda é Ashwalkers?”, revisitando ideias o todo tempo, indo e voltando até acharmos o que iria funcionar e o que representaria melhor o nosso objetivo criativo.

Otageek: Qual foi o maior obstáculo ao desenvolver o jogo?

Mattéo Gaulmier:

Começou como um projeto de estudante. No nosso último ano estudando design, nós produzimos o protótipo de “Ashwalkers“. Então, depois que criamos a empresa com Hervé, nosso maior desafio foi mudar o protótipo que tinha apenas 20 minutos para um jogo indie completo. Com o mesmo time, mantendo o objetivo criativo e focando na qualidade.

Ajustar o tamanho foi o nosso maior obstáculo, pois queríamos fazer a mesma coisa, só que melhor. Nós não tínhamos nenhuma experiência na indústria de jogos, exceto o Hervé, e foi o nosso primeiro jogo. Descobrir o que significa e a magnitude de lançar um jogo completo para o público foi o desafio que tivemos que superar. Foi assustador e emocionante ao mesmo tempo, mas deu tudo certo!

A atmosfera de Ashwalkers. Otageek
A atmosfera de Ashwalkers. Reprodução: Steam.

Otageek: Como vocês tiveram a ideia de fazer mais de 34 finais alternativos?

Mattéo Gaulmier:

Era bem óbvio desde o começo. Nós queríamos cobrir todas as possíveis decisões, em um alcance razoável, é claro. Foi por isso que escolhemos um formato baseado em texto, para que não nos limitássemos na produção.

Então, logicamente, se nós permitíssemos um grande alcance de reações, nós precisávamos recompensar o jogador com a mesma quantidade de resultados. Esses finais são essas recompensas. Como sua história terminará com as escolhas que você fez?

Otageek: Qual é sua parte preferida de “Ashwalkers”?

Mattéo Gaulmier:

Acho que o que eu mais gosto em “Ashwalkers” é a atmosfera. A combinação de ambientes com a música, os personagens e o ritmo do jogo formam esse clima contemplativo e ao mesmo tempo ansioso que eu particularmente adoro!

Otageek: Life is Strange foi um grande sucesso e muito bem recebido pelo público. O sucesso do jogo mudou a sua percepção do mercado de jogos? Como isso te afetou?

Hervé Bonin:

Quando eu decidi que tínhamos que fazer esse jogo, não era certeza. Nem mesmo internamente. Nós estávamos oferecendo algo muito diferente do que estamos acostumados com os jogos “mainstream” e estávamos fazendo em uma plataforma independente. Algumas empresas não se interessaram pelo jogo, enquanto outras sim.

Havia vários prós e contras em termos de marketing sobre o lançamento desse jogo. E para algumas empresas, o jogo não fazia sentido no line-up ou tinham outros projetos no mesmo segmento. O que é certo é que a Square Enix viu potencial e eles criaram uma campanha de marketing perfeita, capturando a essência do jogo e sabendo como apresentá-lo.

Então, eu aprendi muito sobre o caminho a percorrer para encontrar o público para um jogo tão grande e ambicioso. Mas, até onde eu sei, o sucesso de “Life is Strange” abriu várias portas para mim, como essa entrevista com vocês, por exemplo ?

Ashwalkers é um jogo de sobrevivência, de escolhas e consequências.
Ashwalkers é um jogo de sobrevivência, de escolhas e consequências.
Reprodução: Steam.

Otageek: Ainda falando sobre Life is Strange, que é um jogo muito amado e muito popular na comunidade gamer. Você acha que Ashwalkers terá o mesmo impacto com os jogadores?

Hervé Bonin:

Esses dois jogos são bem diferentes. “Life is Strange” emociona ao criar uma ligação íntima e pessoal entre os jogadores e os personagens. “Ashwalkers” contrasta com essa ideia, forçando os jogadores a confrontar tudo em uma escala maior, em um mundo devastado por uma catástrofe.

O jogador é questionado e desafiado a fazer escolhas difíceis e ajudar os personagens centrais a sobreviver a serviço do coletivo. O jogo é quase um experimento social pós-apocalíptico que te questiona até onde você iria para fazer o “bem maior”.

Otageek: Você tem alguma dica para os jogadores que estão ansiosos para jogar Ashwalkers?

Mattéo Gaulmier:

Ashwalkers” tem uma atmosfera de sobrevivência com ênfase em escolhas morais. É importante ter equilíbrio na hora de manter sua equipe viva, se preparar para o perigo e estar pronto para sacrificar recursos para poder continuar seguindo em frente.

Não existem escolhas certas ou erradas, apenas decisões e consequências. Então, não se preocupe em encontrar a resposta certa. Escolha o que for natural para você e esteja ciente das consequências.  

Otageek: Quais são os seus próximos projetos? Você está trabalhando em outro jogo?

Hervé Bonin:

Sim, nós temos alguns projetos alinhados. Nós não estamos descartando nada no momento e talvez mudemos completamente de rumo. Infelizmente, não posso te contar nada no momento, ainda é tudo muito novo, mas espero que em alguns meses eu possa compartilhar outras informações!

E aí, curtiu a entrevista?

Veja o Trailer de Ashwalkers

Leia Mais:

E se você gostou do nosso conteúdo, apoie-nos através das nossas redes sociais e acompanhe nosso podcast

Facebook RSS Youtube Spotify Twitch


Receba conteúdos exclusivos!

Garantimos que você não irá receber spam!

Compartilhe essa matéria!
Imagem padrão
Sabrina Ventresqui
Olá galera! Me chamo Sabrina e sou estudante de Jornalismo. Apaixonada por filmes, séries, fotografia, música e poesia. Sou a famosa jovem mística, viciada em tarot, ervas medicinais e cristais. (e sim, já tive um gato preto chamado Salem)!
Artigos: 139
Se inscrever
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais velho
Mais novo Mais votado
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
Tazdingo

Agora estou no hype para jogar ashwalkers