Entenda quem são os Heróis de ‘DOTA: Dragon’s Blood’8 minutos

Dota 2 nunca teve uma boa relação com as histórias dos seus personagens. Conectados por fios soltos de itens e descrições, nunca foi uma grande fonte para quem queria aprender mais sobre eles. Mas agora temos Dota: Dragon's Blood.

Dota 2 recebeu uma série animada na Netflix feita pelo Studio Mir (A Lenda de Korra, Voltron: O Defensor Lendário). Dota: Dragon’s Blood é uma aventura divertida e empolgante.

Ela tem a difícil missão de desembaraçar o conflito de Dota: Dragon’s Blood em uma introdução digerível para os recém-chegados, e ao mesmo tempo torná-la história verdadeira para os tradicionais jogadores. Por isso, contém muitas referências a outras coisas para os fãs de Dota 2.

Porém, ainda assim, existem muitas histórias singulares de heróis que o Studio Mir e o roteirista Ashley Miller poderiam ter escolhido para contar. É bom ver o desenvolver de uma aventura que poderia se expandir em um conflito que vai muito além deles.

Os personagens são familiares e é possível reconhecer todas as habilidades de cada um. Mas se você ainda não está familiarizado, aqui vai uma pequena parte do vasto multiverso do Dota 2.

Luna

Luna personagem do jogo Dota 2 em Dota: Dragons Blood
Divulgação / Valve e Netflix. Dota: Dragon’s Blood.

Esta é a líder do exército do Bosque de Nightsilver, capaz de semear o terror por onde quer que vá. Podemos ver suas habilidades em Dota: Dragon ‘s Blood.

Selemene, Deusa da Lua, a havia escolhido, guiado e testado. Sem saber, ela havia superado os ritos sagrados dos Lua Negra. A ela foi oferecida uma escolha: juntar-se aos Lua Negra e oferecer os seus serviços a Selemene ou abandonar aquele local e nunca mais retornar. Ela não hesitou: aceitando a sua absolvição, renunciou ao seu passado sangrento e vestiu um novo manto como Luna dos Lua Negra, a temida Moon Rider, a implacável e sempre leal guardiã do Bosque de Noiteprata.

Mirana

Mirana, Princesa da Lua em Dota: Dragons Blood
Divulgação / Valve e Netflix. Dota: Dragon’s Blood.

Princesa da Lua, Mirana, é a patrulheira do sagrado Bosque de Noiteprata, protetora das preciosas flores de lótus.

Nascida em uma família real, sendo a próxima herdeira na sucessão do Trono Solar, Mirana desistiu prontamente de qualquer reivindicação a propriedades ou títulos mundanos quando se devotou completamente ao serviço de Selemene, Deusa da Lua. Conhecida desde então como a Princesa da Lua, Mirana espreita pelo sagrado Bosque de Noiteprata, atenta a qualquer um que ousaria retirar o sagrado lótus luminoso dos charcos prateados pertencentes ao santuário da Deusa.

Montada no seu enorme aliado felino, ela é equilibrada, orgulhosa e destemida, em sintonia com as fases da lua e a rotação das grandes constelações. O seu arco, guarnecido com setas feitas de afiados fragmentos de minério lunar, conta com o poder da lua para carregar as suas flechas de luz.

Leia Também:

Dragon Knight

Dragon Knight ou Davion, personagem de Dota 2 em Dota: Dragons Blood
Divulgação / Valve e Netflix. Dota: Dragon’s Blood.

Davion, o Cavaleiro Dragão. Após anos no rastro de um ancivorme lendário, o próprio Cavaleiro Davion viu-se enfrentando um oponente desapontador: o temido Slyrak cresceu velho e frágil. As suas asas, esfarrapadas; com poucas escamas que sobraram, apodrecendo; suas presas, enfraquecidas… E o seu sopro de fogo ameaçava tanto quanto um pacote de palitos de fósforos molhados. Vendo que não havia honra em assassinar tal criatura, o Cavaleiro Davion preparava-se para dar as costas e deixar o seu velho adversário morrer em paz.

Mas uma voz rastejou nos seus pensamentos… Era Slyrak, que fazia um apelo sussurrante para que Davion honrasse-o com uma morte em combate. Davion aceitou, e foi recompensado muito além do que imaginava pelo seu ato de misericórdia: enquanto mergulhava a sua espada no peito de Slyrak, o dragão atravessava a garganta de Davion com uma garra. Conforme os sangues se misturavam, Slyrak enviou o seu poder através da rota de sangue, transmitindo toda a sua força e séculos de sabedoria ao Cavaleiro. A morte do dragão selou o elo entre os dois, e assim nascera o Dragon Knight. O poder ancestral adormece em Davion, o Cavaleiro Dragão, despertando quando ele o convoca. Ou talvez seja o dragão quem chama o Cavaleiro.

Invoker

Invoker o mago mais apelão do Dota 2 em Dota: Dragons Blood
Divulgação / Valve e Netflix. Dota: Dragon’s Blood.

Na sua mais primitiva e, diriam alguns, mais potente forma, a magia era basicamente a arte da memória. Não demandava tecnologia, nem cajados ou qualquer artifício além da mente do mago. A simbologia dos rituais é apenas um recurso mnemônico, para que o praticante lembre com detalhes a exata fórmula mental de um feitiço.

Naquele tempo, os maiores magos eram aqueles agraciados com as melhores memórias e as invocações eram tão complexas que os magos eram obrigados a se especializar. O mais devoto podia esperar lembrar, durante a vida, de três, quatro feitiços no máximo. Magos normais contentavam-se em saber dois; e não era difícil um mago de aldeia saber apenas um e ainda assim precisar consultar grimórios como ajuda para relembrá-lo nos raros casos em que era requisitado usá-lo. Mas dentre os antigos praticantes havia uma exceção, um gênio de amplo intelecto e memória pródiga que seria conhecido como Invoker.

Quando jovem, o precoce mago dominava não quatro, nem cinco, nem mesmo sete encantos: ele dominava nada menos do que dez feitiços e lançava-os instantaneamente. Ele aprendeu muitos outros, porém inúteis, e praticava-os apenas uma vez para então limpá-los da sua mente, deixando espaço para os mais úteis. Um destes foi o Encanto Sempiterno – um feitiço de longevidade tão poderoso que aqueles que o usaram nos primórdios do mundo ainda estão entre nós (a não ser que tenham sido reduzidos a átomos).

A maioria desses quase-imortais vivem em sigilo, com medo de admitir os seus segredos, mas o Invoker não é do tipo que esconde os seus dons. Ele é ancestral, aprendeu mais que todos e, de alguma forma, na sua mente ainda cabe um imenso senso do seu próprio valor, assim como as invocações que vêm entretendo-o durante o longo e demorado crepúsculo que eram os dias restantes do mundo.

Terrorblade

O grande bichão do Dota 1 em Dota: Dragons Blood
Divulgação / Valve e Netflix. Dota: Dragon’s Blood.

Terrorblade é o Saqueador Demoníaco – um Diabo fora da lei temido por outros demônios. Um iconoclasta cósmico, ele cometeu furtos contra a realeza infernal, ignorou os ritos codificados que deveriam prender o seu comportamento e quebrou cada lei das sete Regiões Infernais. Pelos seus crimes aprendeu esta lição: até mesmo no Inferno há um inferno.

Um breve, mas brutal julgamento se seguiu, com mortos em todos os lados, e ele finalmente foi encarcerado no Decaduto, uma dimensão oculta onde demônios aprisionam os seus iguais. Mas o Decaduto não é uma prisão qualquer. Neste espelho negro da realidade, demônios são condenados a encarar um reflexo distorcido das suas próprias almas. Porém, ao invés de sofrer, Terrorblade dominou o pior dos seus reflexos – um demônio furioso e furtivo de poderes inimagináveis. Com a sua fera interior sob o seu controle, ele destruiu as paredes da prisão fractal e seguiu adiante, para liberar o seu terror em toda a criação.

Dota 2 é um jogo eletrônico gratuito do gênero MOBA, desenvolvido pela produtora Valve Corporation como sequência do Defense of the Ancients (DotA, uma modificação em um mapa desenvolvido para o jogWarcraft III: The Frozen Throne), lançado em julho de 2013 na plataforma Steam.

Leia também:


E se você gostou do nosso conteúdo, apoie-nos através das nossas redes sociais e acompanhe nosso podcast

Facebook RSS Youtube Spotify Twitch


Receba conteúdos exclusivos!

Garantimos que você não irá receber spam!

Compartilhe essa matéria!
Imagem padrão
H1za
Artes, jogos e um pouco de filmes. Viver é comer, dormir e arrumar brigas!
Artigos: 31
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários