Crítica | Orfeu – My French Film Festival3 minutos

O Orfeu do mito grego amava sua esposa e abdicou de tudo para ir buscá-la no mundo inferior. Já o Orfeu de Cocteau foge um pouco disso e irei lhe dizer o porquê.

Orfeu é uma adaptação do famoso conto da mitologia grega. O famoso diretor Jean Cocteau traz a sua interpretação da história. O filme está disponível no streaming Supo Mungam Plus em parceria com o My French Film Festival.

Pôster de Orfeu
Reprodução: Supo Mungam Plus.

Sinopse: “Orfeu é a transposição de Jean Cocteau do famoso mito para o mundo moderno. Poeta reconhecido de Saint-Germain-des-Prés, Orfeu é enfeitiçado por uma princesa enigmática que nada mais é do que a Morte. Por ela, ele abandona a sua mulher, Eurídice. Mas a Princesa, percebendo a impossibilidade desse amor, devolve Orfeu à Eurídice…

Vinte e cinco anos após a publicação da sua peça “Orfeu”, Jean Cocteau reinterpreta o antigo mito para o cinema em 1950 e oferece um conto filosófico, visual e poético, personificado por Jean Marais e Maria Casarès.

Leia também:

Confesso que nunca assisti uma produção cult e, após o convite do Supo Mungam Plus, resolvi dar uma chance. Afinal, o pior que iria acontecer é dormir durante todo o filme.

Piadas à parte, o filme foi uma surpresa muito positiva. A roupagem foge da história advinda da mitologia grega e consegue entreter o telespectador durante os 95 minutos de duração.

Apesar do spoiler gigantesco da sinopse, a história é interessante e te cativa a continuar assistindo. Orfeu é um poeta que há tempos não compõe e, após um encontro misterioso com a Princesa, fica obcecado por um carro que possui uma rádio única.

A rádio, de tempos em tempos, reproduzia poemas, e o poeta sedento por novas composições ficava horas sentado no carro anotando o que era dito e ignorando sua esposa, Eurídice.

Devido à obsessão de Orfeu, então, Eurídice é morta e o poeta vai até o mundo inferior para resgatar sua esposa e, quem sabe, reencontrar a Morte.

A Diferença Entre Mito e Adaptação

Aqui mora o meu problema com o filmecadê o amor arrebatador de Orfeu? Aquele que fê-lo ir ao mundo inferior buscar Eurídice apenas com a vontade de tê-la nos braços?

O Orfeu de Cocteau tratava mal a esposa. Não se via amor, afeto ou qualquer preocupação com o bem-estar de Eurídice. Enquanto o Orfeu do mito sofreu com a punição de não vê-la até sair do mundo inferior, o Orfeu da adaptação não passou nem perto disso.

Pelo contrário, passava horas reclamando, e quando descumpriu a regra disse que era uma “situação inevitável”.

Vale a Pena Assistir?

Filme em preto e branco, efeitos especiais duvidosos e uma boa direção formam uma mistura interessante e, por que não, agradável de assistir.

Orfeu é aquele tipo de filme que, após o encerramento, você precisa parar um pouquinho para digerir todos os acontecimentos. É uma ótima obra para sair da bolha e descobrir que nem todo filme cult é chato ou pesado.

Espelhos são as portas através das quais a morte vem e vai. Olhe-se no espelho por toda a vida e verá a morte trabalhando.”

Onde assistir?

Orfeu é resultado de uma parceria entre o My French Film Festival e o Supo Mungam Plus. O filme ficará no catálogo do streaming até o dia 15 de fevereiro. Você pode acessar o site clicando aqui.

Orfeu
Ano: 1950
Diretor: Jean Cocteau
Duração: 95 minutos
Gêneros: drama, romance.
Classificação: 12

Se já assistiu o filme, conta pra mim o que achou!


E se você gostou do nosso conteúdo, apoie-nos através das nossas redes sociais e acompanhe nosso podcast

Facebook RSS Youtube Spotify Twitch


Receba conteúdos exclusivos!

Garantimos que você não irá receber spam!

Compartilhe essa matéria!
Default image
Débora Tavares
Mais conhecida como “a garota que nasceu nos anos 90 e não viu nada dessa época” no grupo de amigos, sou uma estudante de biomedicina que decidiu deixar a ciência de lado para explorar o mundo e suas oportunidades.
Articles: 18
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários

Acompanhe o Otageek nas redes sociais

pt Português
X