Crítica | Belezas (2020) – My French Film Festival4 minutos

Ousadia, diversão e reflexões pertinentes sobre gênero e sexualidade. Curta "Belezas" é parte da 11º edição do My French Film Festival, disponível na plataforma de streams Supo Mungam Plus

A popularização do reality show RuPaul’s Drag Race trouxe várias consequências: RuPaul Charles transformou o seu reality tão simplista nos seus primórdios, em 2009, em um verdadeiro fenômeno, com adaptações do formato para outros países, turnês mundiais com as queens do reality, programas e webséries protagonizados por ex-participantes e até sua própria Comic-Con.

O reality, mais do que uma competição, tornou-se uma plataforma para alavancar ao estrelato artistas que antes só atingiam seu nicho, no caso, a comunidade LGBTQIA+. Mas não só isso, ele se tornou uma inspiração para uma nova onda de artistas, cada vez mais jovens, que acabam vindo à tona, se não no programa, em outras plataformas. Belezas (Beauty Boys, 2020) é um bom exemplo disso.

Belezas (Beauty Boys, 2020). Reprodução: My French Film Festival
Belezas (Beauty Boys, 2020). Reprodução: My French Film Festival.

Ao som de Nails, Hair, Hips, Heels, de Todrick Hall, acompanhamos Léo e seus amigos em sua estreia no universo cheio de glitter e close das drag queens. Os jovens se preparam para uma noite de palco aberto na pequena vila onde habitam, porém, a ideia não agrada ao irmão mais velho de Léo, Jules, que tenta impedir a apresentação dos jovens com receio de ser zoado pelos amigos. Dirigido pelo jovem Florent Gouëlou, o curta-metragem faz parte da lista de selecionados da 11º edição do My French Film Festival, disponível na plataforma de filmes independentes Supo Mungam Plus.

Léo e seus amigos em sua estreia no universo cheio de glitter e close das drag queens no curta Belezas
Belezas (Beauty Boys, 2020). Reprodução: My French Film Festival.

A ideia de Florent, como o próprio nome sugere, é ampliar as discussões sobre a representação do masculino, e isso ele faz bem. De um lado temos Léo, um garoto de 17 anos, gay, que deseja se apresentar como drag queen. O jovem poderia representar todo o estereótipo de fragilidade, principalmente por abraçar o aspecto feminino em sua performance, mas, pelo contrário: é confiante, não se intimida mesmo diante da represália do irmão e se reafirma diante de um público.

Jules, em contrapartida, levado pela toxicidade de seu amigo que constantemente insulta seu irmão, demonstra esconder por trás de sua “virilidade” as suas inseguranças. É bacana perceber que o irmão mais velho de Léo não o reprime por sua sexualidade, necessariamente. Há uma outra razão mais pontual que o espectador atento poderá perceber.

O curta também conta com a participação de Cookie Kunty, drag queen parisiense que acumula mais de 20 mil seguidores em sua conta do Instagram. Cookie interpreta ela mesma e é a responsável por iniciar os jovens garotos na arte drag (drag mother). Além disso, protagoniza uma das cenas mais divertidas do filme.

Belezas (Beauty Boys, 2020). Reprodução: My French Film Festival
Belezas (Beauty Boys, 2020). Reprodução: My French Film Festival.

Além de boas atuações e participações, é um filme tecnicamente agradável. A fotografia é um ponto forte, com paletas de cores harmônicas e bons enquadramentos, os quais potencializam as emoções que os personagens querem transmitir.

O roteiro também é redondinho, deixando bem claro, ao fim do filme, a mensagem que o diretor gostaria de passar, além de ser bastante divertido. No entanto, se você espera complexidade e inovação, esse curta não será tão interessante. Os debates contidos aqui, para aqueles que já assistiram a outros filmes e/ou séries com temática LGBTQIA+, podem passar uma mensagem batida. O curta tem um público-alvo jovem muito bem definido e serve para quem apenas está procurando algo para se divertir por alguns instantes.

Belezas, por fim, foi uma surpresa positiva deste My French Film Festival. Florent e sua equipe executaram bem essa história, com uma boa qualidade técnica. Mesmo soando mais do mesmo, traz uma trama agradável e que vai divertir seu público, ainda que não seja muito memorável.

*Este texto conta com a colaboração de Lucas Lima como co-autor.

Assista ao trailer:

Confira também:


E se você gostou do nosso conteúdo, apoie-nos através das nossas redes sociais e acompanhe nosso podcast

Facebook RSS Youtube Spotify Twitch


Receba conteúdos exclusivos!

Garantimos que você não irá receber spam!

Compartilhe essa matéria!
Default image
Rodrigo Gabriel Costa
26 anos, cearense, libriano, graduado em Letras e viciado em café.
Articles: 6
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários

Acompanhe o Otageek nas redes sociais

pt Português
X