20 episódios que simbolizam ‘Glee’ para rever no Disney+20 minutos

"Just a small twon girl"
Foto promocional da última temporada de Glee com elenco se abraçando
Foto promocional da última temporada de Glee

Glee estreou em maio de 2009 e foi ao ar até março de 2015. O show passou por diversos momentos de turbulência, um sucesso estrondoso e algumas polêmicas que continuaram sendo debatidas até o fim do seriado.

A série conta a história de um professor de espanhol frustrado tentando reviver seus anos de ouro no colégio onde se formou. Para isso, ele decide reviver o clube do coral e conta com a ajuda de seis estudantes desajustados para seguir com seu sonho. Com o tempo, ele vai inspirando outros alunos a fazerem parte do coral.

Mas Glee ensinou uma geração a continuar sonhado e nunca desistir de nossos próprios sonhos. Portanto, separamos aqui uma seleção com os 20 episódios que simbolizam a essência de Glee.

Confira:

1 – Piloto

Alunos cantam Don’t Stop Believin’

Vamos começar pelo começo.

Um dos episódios mais marcantes da série de Ryan Murphy é o seu piloto. Nele vemos um grupo de adolescentes desajustados, um professor em um lar desfeito e uma treinadora tirana que não acredita no poder das artes.

Pode aparentar ser uma narrativa clichê, mas nesse primeiro episódio vemos como todos os personagens estão em busca da própria felicidade, não importa se machuquem alguém no processo. Portanto a série nos entrega logo um clima identificável para adolescentes e para adultos.

Somos apresentados à Rachel, Finn, Mercedes, Will Schuester, Tina, Artie, Terri, Kurt e Sue Silvester, cada um responsável por algum momento importante da série. Ainda assim, o mais marcante do episódio continua sendo a apresentação da canção Don’t Stop Believin’.

A música voltou ao topo dos charts após ser cantada em Glee e logo virou um fenômeno entre os fãs da série.

2 – Preggers

Performance de Single Ladies

Outro episódio marcante da série é o “Preggers”.

Mesmo estando logo no começo da primeira temporada, ele acabou sendo ofuscado um pouco por outros episódios. Mas é nesse capítulo em que os estereótipos da série começam a ser subvertidos.

Descobrimos que Terri, a esposa de Will, teve uma gravidez psicológica e não está de fato grávida. Em contrapartida, vemos Quinn Fabray, namorada de Finn Hudson, descobrindo que está grávida e precisando lidar com o peso.

Não demora muito para descobrirmos que Quinn está grávida de Puck e que Terri decide pegar o bebê de Quinn após o nascimento. Então, a perfeitinha Quinn Fabray terá de tomar decisões extremas. Ela não sabe como contar para os pais conservadores, não sabe se revela quem é o verdadeiro pai e não sabe se quer dar mesmo o bebê.

Ademais, nesse episódio também vemos Kurt sair do armário para seu pai e ser aceito com o maior amor do mundo pelo mesmo.

3 – Bad Reputation

Performance de Run Joey Run

Mais um episódio da primeira temporada que, por sinal, é uma joia da TV.

Bad Reputation” simboliza o humor jocoso de Glee. Se distanciando mais da vibe pesada que a primeira parte da temporada imprime, esse é um episódio mais cômico e despojado.

Aqui vemos um vídeo da tirana Sue Sylvester viralizar na internet, o que a faz ser motivo de chacota pelos estudantes do William McKinley High School. O vídeo em questão é uma aeróbica dos anos 80 no qual ela dançava com a cancão “Physical” de Olivia Newton-John.

Assim que o assunto viraliza, os integrantes do Clube Glee se tornam obcecados pela imagem de bonzinhos que eles tem. Piora quando vaza uma lista de integrantes mais sensuais do Club Glee e atinge alguns no coração.

Nesse episódio temos Rachel performando “Run, Joey, Run” e Sue Sylvester dançando com a própria Olivia Newton-John.

4 – Funk

Performance de It’s a Man’s World

O último selecionado da primeira temporada traz Rachel Berry tendo seu coração partido por Jesse St. James, uma estrela em ascensão do time rival.

A melhor parte do episódio é ver o contraste entre Quinn e Mercedes. Quinn é uma menina branca de classe média alta que perde tudo quando engravida, enquanto do outro lado temos Mercedes, que é negra e precisa lutar por reconhecimento.

Vemos um diálogo maravilhoso entre as duas na biblioteca, onde Quinn reconhece ter sido parte do problema que oprime Mercedes, enquanto a nossa Mercedes de desculpa por banalizar a gravidez de Quinn e não tratar os problemas reais com sinceridade.

Elas se tornam amigas e vemos Quinn cantar um número com “This is a Man’s World” com mulheres grávidas.

5 – Britney/Brittany

Performance de I’m Slave 4 U

Se você foi uma criança, ou um adolescente no começo da década de 2000, provavelmente, deve ter cantado “Baby One More Time” e outros hits da loirinha misteriosa do In The Zone.

Bom, esse episódio de Glee capta todo simbolismo de Britney Spears para toda uma geração.

É crucial notar como Britney Spears impacta a vida dos alunos. Ela os dá liberdade, autoestima, sensualidade e traz o reconhecimento do talento de todos os alunos do Clube do Coral.

No episódio, somos apresentados a Carl, um dentista que está namorando a conselheira da escola. Quando ele oferece tratamentos grátis pros alunos do Coral, eles acabam sonhando com performances de Britney Spears das quais eles protagonizam.

O episódio ainda nos dá uma performance icônica de “Toxic” e de outros hits da loirinha misteriosa.

6 – Grilled Jesus

Performance de Losing My Religion

Logo após a comédia escrachada de “Britney/Brittany”, vamos para um episódio muito mais caloroso e dramático.

Nele vemos os alunos do clube do coral cantando e conversando sobre religião. O debate acaba sendo impulsionado quando o pai de Kurt, Burt, é internado em estado grave devido a um ataque cardíaco.

Kurt diz que religião é usada como um instrumento de opressão, mas Mercedes também mostra ao menino que é possível encontrar algum tipo de conforto na fé.

7 – Duets

Performance de Lucky

Nesse episódio da segunda temporada não temos uma storyline tão poderosa quanto os outros, porém temos performances maravilhosas e de tirarem o fôlego.

Numa tentativa de juntar os alunos e formar novas amizades, Will forma pares de alunos que precisam apresentar um duetos. Kurt acaba escolhendo Sam Evans, um aluno novo transferido, mas Finn percebe as segundas intenções de seu meio-irmão e tenta convencê-lo a ser mais cuidadoso.

Sam diz que não sente nenhum medo de cantar com Kurt, mas o jovem acaba desistindo da ideia e Sam forma dupla com Quinn. Já Kurt demonstra seu poder de autoconfiança e performa “Jazz Hot”, enquanto Sam e Quinn cantam “Lucky”.

8 – The Substitute

Performance de Forget You

Meu Deus, como a segunda temporada de Glee é boa!

Em “The Substitute” temos a presença da ilustre Holy Holiday, uma professora substituta que aceita treinar o clube Glee quando Will Schuester adoece. Não demora muito até os adolescentes gostarem da professora.

Nesse episódio vemos a importância de dar atenção aos adolescentes que se sentem excluídos, mas também vemos como é importante termos por perto figuras adultas bem decididas que entendem o peso da vida adulta.

9 – Furt

Performance de Just The Way Your Are

Outro grande episódio dessa temporada, vemos Finn e Kurt tendo que acertar a relação como irmãos quando seus pais decidem se casar em uma cerimônia organizada pelo Clube Glee.

Acontece que Kurt está sofrendo bullying do time de futebol, o que faz com que as meninas do clube Glee comecem a confrontar seus namorados sobre a vista grossa que eles faziam quando um amigo sofria homofobia.

Enquanto isso, Burt confronta Finn sobre deixar o irmão sofrer homofobia. O fim episódio vemos Kurt saindo do colégio e se transferindo para a Dalton Academy, um colégio masculino, assim todos os estudantes sentem o peso de perderem um amigo.

10 – Silly Love Songs

SANTANA LOPEZ

Não precisamos de muito para definir “Silly Love Songs” como um episódio icônico, apenas Santana Lopez passando sapinho para Finn e Quinn depois de ser ridicularizada por ambos.

É um episódio genuinamente engraçado que trabalha a dinâmica dos personagens muito bem. Aqui vemos Rachel correndo atrás de Finn, além de Kurt se apaixonando por Blaine, um cantor da Dalton, mas percebendo que está imensamente iludido.

11 – Born This Way

Rachel e Quinn cantando I Feel Pretty / Unpretty

“Eu sinto pena de qualquer garota que não esteja na minha pele”

Um episódio muito marcante de Glee é “Born This Way”.

Nele vemos Rachel recebendo a oportunidade de realizar uma rinoplastia. Seus amigos tentam convencê-la de que seria errado não aceitar sua aparência, mas outras pessoas incentivam a cirurgia por não se aceitarem completamente.

Também temos uma cena linda na qual Finn diz que acha Rachel linda, enquanto Quinn chora por não estar satisfeita com quem ela era.

Leia também:

11 – The Purple Piano Project

Performance de We Got The Beat

O começo da terceira temporada de Glee é contagiante.

Ele é um bom piloto para o que vem a seguir na temporada, mas aqui vemos também uma discussão importante sobre incentivar as artes nas escolas que não possuem programas de artes.

O clube do coral volta mais decidido do que nunca para mais uma temporada, o que faz com que eles lutem com unhas e dentes para defenderem sua permanência no colégio. Mas Quinn Fabray decide se revoltar e virar uma punk.

12 – Michael

Quinn canta Never Can Say Goodbye

Outro tributo marcante para a cultura pop.

No episódio “Michael” também vemos como Michael Jackson impactou a vida dos estudantes. Quando os estudantes da Dalton Academy decidem cantar Michael na apresentação, o clube do coral precisa defender a própria honra e mostrar que está apto para segurar a coroa de Michael.

Mas o melhor plot do episódio é ver Rachel tentando se decidir entre casar com Finn ou seguir sua vida. Em um momento ela é aconselhada por Quinn a deixar o rapaz para trás e seguir seus sonhos como uma mulher independente.

Quinn canta “Never Can Say Goodbye” e demonstra estar segura para seguir seu caminho, mesmo depois de ter tido um caminho difícil, ela dá a volta por cima e entra em Yale.

13 – On My Way

Performance de What Doesn’t Kill You

A terceira temporada ficou bastante querida pelos fãs por abordar alguns assuntos mais sérios. Em “On My Way”, vemos o clube do coral tendo que lidar com a tentativa de suicídio de um ex-colega de classe.

Todos os estudantes acabam expressando como se sentem com a situação, até mesmo há uma reflexão sobre a crueldade entre a comunidade gay e como o bullying é usado para disfarçar as próprias inseguranças.

O episódio mostra como nossas vidas são imprevisíveis, tanto que no fim do episódio somos surpreendidos com um evento ocorrido na vida da personagem Quinn Fabray e que a afeta drasticamente.

14 – Goodbye

Cena de Roots Before Branches

O episódio mostra os estudantes do colégio William McKinley se despedindo durante a última semana de aula. Quinn revê todas suas atitudes e está pronta para seguir em frente, enquanto o trio Finn, Rachel e Kurt estão apreensivos sobre os futuros de suas carreiras artísticas.

É o fim de toda uma trajetória da série. Vemos os personagens amadurecendo e prontos para se arriscarem em uma jornada pelo mundo adulto. O episódio também termina com um gancho muito emocionante e tem um dos números musicais mais bonitos.

15 – The Break-Up

Os casais de Glee cantando The Scientist

Após se mudarem para Nova Iorque, Rachel e Kurt sentem falta de seus respectivos namorados Finn e Blaine. Assim como Brittany sente falta de Santana e Will Schuester decide ir para o Washington lutar pelos direitos das artes, uma decisão que afeta seu namoro com a conselheira Emma Pillsbury.

A quarta temporada carece de episódios marcantes, mas “The Break-up” é um balde água fria para os fãs da série. Ele mostra o quão longe os personagens chegaram e não podem mais carregar peso do ensino médio com eles.

Kurt se depara com a traição de Blaine, enquanto Rachel vê o quão longe seu egoísmo chegou, ao ponto de perceber que antes de Nova Iorque a relação já estava fadada ao fim.

16 – The Quarterback

Performance de Seasons of Love

Quando chegou em sua quinta temporada, Glee já estava desgastada e havia usado todo e qualquer tipo de discussão para sustentar a audiência. Mas “The Quarterback” é o melhor episódio de Glee depois do fim da segunda temporada.

Não existe nenhum tipo de sensacionalismo ou desconhecimento sobre o assunto. É apenas um grupo de amigos homenageando a vida de Finn Hudson, enquanto lutam para seguirem em frente após a morte do mesmo.

A série tem números musicais impecáveis e mostra os personagens tendo que lidar com a morte prematura. Mas o que torna o episódio lindo é ver o amor que Corey Monteith recebia dentro do set e como sua morte não significou mais que sua vida.

17 – Opening Night

Rachel canta I’m The Greatest Star

Rachel Berry finalmente realizou o seu maior sonho de estrear no Broadway.

A quinta temporada de Glee pode ser a mais fraca, mas ainda nos apresenta um grande momento: Rachel Berry atinge o seu maior sonho. Porém o episódio ainda aborda o quão presa aos fantasmas de seu ensino médio ela está.

Nesse episódio, Rachel se emancipa e consegue enxergar o quão longe ela chegou. Após ser aclamada por sua performance como Funny Girl e ser aplaudida de pé no teatro, a personagem conquista tudo o que sempre almejou e se enxerga como uma mulher adulta.

18 – Loser Like Me

Blaine e Rachel cantam Suddenly Seymour

Abrindo a última temporada de Glee, “Loser Like Me” mostra o que acontece com estrelas que querem chegar perto demais do sol.

Mesmo Rachel tendo passado por muitas coisas na série, ela ainda sempre foi uma personagem irritante que conseguia tudo muito fácil. Todo mundo sempre parecia torcer por ela, ao mesmo tempo que falavam o quão deplorável a personagem era. Suas atitudes ruins nunca foram postas em discussão quando ela passava por cima dos outros e era recompensada.

Em outras palavras, Rachel nunca soube o que era estar na pele de seus amigos menos privilegiados, ela nunca batalhou realmente por alguma coisa porque ela sempre alcançava tudo. Enquanto Kurt, Santana, Tina, Artie e Mercedes precisavam ficar debaixo do ego da personagem.

Mas em “Loser Like Me” vemos a personagem, finalmente, entendendo o quão ilusória era sua ambição, pois o mundo real não é tão fácil como ela achava que seria e se queimou bastante.

Ela perde seu momento após se meter em um grande fracasso da televisão. Após decidir voltar para Ohio e recomeçar sua vida, ela vê que a vida também não tem sido fácil para nenhum de seus colegas e precisa dar um jeito de animar todos eles para seguir em frente.

19 – Homecoming

Performance de Take on Me

“Homecoming” balanceia o fim da série e um novo começo para os alunos do McKinley High School.

Os antigos estudantes do clube Glee voltam para o colégio numa tentativa de reviverem o clube, que agora não existe mais porque Sue Sylvester comanda o colégio e reforça seu discurso de ódio contra as artes.

Os ex-estudantes precisam dar algum jeito de influenciarem os novos alunos mostrando como a arte moldou a vida deles.

É uma delícia ver a nova geração do New Directions ganhando forma, mas também ótimo rever os antigos rostos que marcaram a série. Vemos o quão eles mudaram em tão pouco tempo longe de Ohio, além termos a sensação que amadurecemos junto dos personagens.

20 – 2009 e Dreams Come True

Performance de I Lived

Esses dois episódios formam o fim da série, assim como traçam um paralelo bem interessante quando em “2009” vemos os personagens no início do clube, enquanto em “Dreams Come True” vemos onde eles chegaram com a influência de Will Schuester em suas vidas.

“2009” é uma versão alternativa do episódio piloto, mas ele é focado muito mais na relação de Artie, Tina, Mercedes, Rachel e Kurt do que no ponto de vista de Will Schuester. Nesse episódio também vemos como Mercedes se sente inferior e aprende que precisa continuar lutando por seu espaço. Além de vermos mais da depressão de Kurt e das ambições iniciais de Rachel.

Já em “Dreams Come True”, os personagens estão em 2020, cinco anos após eles se despedirem do clube Glee uma última vez. Mercedes virou uma cantora pop internacional, enquanto Blaine e Kurt viraram produtores e atores de teatro na Broadway. Artie virou um diretor de cinema e Tina virou sua estrela. Por fim, Rachel casou com Jesse St. James e ganhou um Tony Awards.

O final do episódio é marcado por uma versão muito bela de “I Lived” cantada pelas gerações que passaram pelo clube do Coral. Eles fazem uma última apresentação e a dedicam para Finn Hudson.

E se você gostou do nosso conteúdo, apoie-nos através das nossas redes sociais e acompanhe nosso podcast

Facebook RSS Youtube Spotify Twitch


Receba conteúdos exclusivos!

Garantimos que você não irá receber spam!

Compartilhe essa matéria!
Imagem padrão
Paulo Miranda
Nascido e criado no Rio de Janeiro, 20 anos, sou formado em inglês e um estudioso de cultura pop. Sempre tentando buscar e compreender os movimentos que movem a cultura nerd, Atualmente colunista do Otageek e futuro estudante de literatura inglesa.
Artigos: 76
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários